Advogados trabalhistas fazem protesto no Rio

Advogados trabalhistas fizeram hoje o enterro simbólico do presidente Fernando Henrique Cardoso e do ministro do Trabalho, Paulo Jobim, em protesto ao que eles classificam de abandono da Justiça do Trabalho no Rio. O protesto foi em frente ao prédio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que teve três andares destruídos por um incêndio no dia 8 de fevereiro deste ano. Milhares de processos foram queimados e, desde então, a Justiça do Trabalho vem funcionando precariamente. De acordo com o presidente do Sindicado dos Advogados, Wadih Damous, quatro varas estão interditadas, duas instâncias não funcionam e as varas que estão em operação trabalham em sistema de rodízio. O prédio onde funciona o TRT, no Centro, é administrado pelo governo Federal. O Sindicato e a Associação Carioca de Advogados Trabalhistas querem uma sede própria onde a Justiça possa funcionar com segurança. Durante a manifestação, o advogado Wilson Perereira, 78 anos, entrou no caixão. De acordo com ele, em 52 anos de profissão nunca viu a Justiça do Trabalho ficar paralisada por tanto tempo. O ex-ministro do Trabalho, Francisco Dornelles também foi alvo do protesto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.