Aécio defende uso da CPMF para financiar segurança

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, defendeu hoje a vinculação de parte dos recursos da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para a área de segurança. Durante o lançamento do Gabinete de Gestão Integrada, o governador fez um apelo para que haja um aumento dos recursos na área de segurança e a criação de um mecanismo que garanta para a área fontes fixas de financiamento. "Recursos sem inteligência é desperdício, mas inteligência sem recursos é poesia", disse.O governador sustentou que o problema da segurança, crescente nos últimos anos, somente pode ser combatido caso passe a ser considerado como uma questão de governo, não só um tema tratado pelo Ministério da Justiça. Para ele, o lançamento do gabinete, a articulação dos Estados e a valorização da inteligência são aspectos importantes. "Mas é fundamental que tenhamos uma fonte de financiamento para essas ações. Caso contrário, estaremos entrando na fila das inúmeras demandas por orçamento", disse. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, classificou como "angustiante" o problema da segurança. Diante do pedido feito pelos governadores sobre ampliação de recursos, ele admitiu ser preciso um esforço financeiro maior. "E um esforço maior em todas as esferas, incluindo a federal."Aécio observou que o CPMF, por ser uma contribuição com maior expectativa de crescimento, possa ser uma boa alternativa para o financiamento da segurança. Ele sugere a parcela do crescimento - dinheiro que hoje a União não conta para seu orçamento - seja destinada a área.. "Este plus poderia ser usado para um mutirão de unidades prisionais e também para o equipamento das forças policiais. É preciso haver compreensão do governo e da equipe econômica, em especial, de que a segurança é prioridade do País?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.