Aécio entregará a Serra lista com pedidos de Minas

Objetivo é fazer com que relação de projetos prioritários do Estado seja incluída na plataforma de governo do candidato do PSDB

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 00h00

BELO HORIZONTE

O ex-governador Aécio Neves e o diretório estadual do PSDB vão apresentar ao pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, uma lista de projetos e obras considerados prioritários em Minas Gerais. A intenção é que a relação conste da plataforma de governo do presidenciável.

No último encontro que tiveram, Serra pediu que Aécio elaborasse documento com as demandas de grande repercussão no Estado. De acordo com o presidente do PSDB mineiro, deputado federal Nárcio Rodrigues, o manifesto - inicialmente batizado de Agenda Minas Gerais - deve ser entregue ao pré-candidato tucano até o início de maio, durante uma visita de Serra ao Estado.

A lista inclui reivindicações como a ampliação do metrô de Belo Horizonte e do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, que já opera no limite de sua capacidade, além da recuperação do Anel Rodoviário da capital, a duplicação da BR 381, no sentido Belo Horizonte-Vitória, e a revitalização da bacia do Rio São Francisco.

Desenvolvimento. Para reduzir eventuais resistências ao nome de Serra no segundo colégio eleitoral do Brasil, Aécio recomendou ao paulista que se comprometa efetivamente com o desenvolvimento de Minas e citou também a necessidade de uma política específica que dê estabilidade ao setor cafeeiro. O ex-governador mineiro - que resiste à pressão para compor a chapa de Serra como vice - tem dito que não basta aos pré-candidatos visitar Minas, pois, mais do que visitas, o Estado "precisa de propostas".

"Estamos entregando a ele (Serra), eu próprio vou fazer isso dentro de algumas semanas, um conjunto de ações que considero complementares àquelas que o governo do Estado vem fazendo e que permita que ele tenha identidade maior com Minas", disse Aécio. "O mais relevante para nossa vida não é o local de nascimento do candidato, mas o compromisso efetivo que ele tenha com o nosso Estado."

Para o deputado Nárcio, o governo Lula "se omitiu no que era estruturante para Minas". "Será um documento importante porque sinaliza também uma relação de compromissos de Serra com Minas na elaboração da sua plataforma de governo", disse.

As obras e projetos já foram objetos de reclamações públicas de Aécio, principalmente quando ele ainda se colocava como pré-candidato à Presidência.

Em setembro passado, Aécio homologou decisão do prefeito da capital, Márcio Lacerda (PSB), que havia decretado estado de calamidade pública no Anel Rodoviário, em razão do grande número de acidentes. Ambos cobravam intervenção urgente na via de 26,5 quilômetros.

O ex-governador já tinha cobrado a Casa Civil - quando ainda era ocupada por Dilma Rousseff, hoje pré-candidata do PT à Presidência - pela falta de investimentos no metrô de Belo Horizonte. Aécio acusou a pasta de "descaso" em relação à proposta do governo e da prefeitura de uma Parceria Público-Privada (PPP) para ampliar o sistema de transporte público.

O assunto voltou a ser discutido ontem durante evento na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), que contou com a presença de Dilma. Ela foi questiona sobre a falta de investimentos no metrô. "Para nós, ministra, há muitos anos é uma demanda importantíssima para Minas", reclamou o presidente da Fiemg, Robson Braga de Andrade. "O metrô de Belo Horizonte tem tido poucos recursos e a gente tem recebido pouco apoio do governo federal."

"Barbaridade, uai". Em entrevista à rádio Itatiaia, em Belo Horizonte, Dilma falou sobre a infância e da relação afetiva com Minas. Embora tenha nascido em Belo Horizonte, a ex-ministra fez carreira política no Rio Grande do Sul. "Muitas vezes eu já me peguei falando barbaridade e uai", declarou. "Às vezes eu falo tu, ocê." Ela também citou a experiência vivida no Sul. Segundo ela, os dois Estados possuem "tradição libertária".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.