Aécio liga vitória em MG a projeto presidencial

Ele admite que plano de disputar Planalto em 2014 depende da eleição de Anastasia

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2010 | 00h00

O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) disse ontem que uma eventual derrota do tucano Antonio Anastasia na sucessão estadual pode representar também a derrota de um futuro projeto presidencial liderado por ele.

Pela primeira vez desde o início da campanha, Aécio, candidato ao Senado, vinculou o resultado da disputa pelo governo à hipótese de voltar a pleitear uma candidatura à Presidência ao dizer que a eventual derrota de Anastasia "seria a vitória de interesses externos a Minas e, talvez, a derrota do projeto de Minas".

"Eu acho que podemos pensar sim num projeto nacional para Minas Gerais no futuro. Mas projeto nacional, até mesmo do governo federal, passa pela eleição de Anastasia agora em outubro", afirmou o ex-governador durante ato de campanha em Itajubá.

Questionado se não se sentia decepcionado por não ter conseguido se viabilizar como candidato à Presidência, Aécio disse ser preciso "pensar no futuro" e trabalhar pela reeleição de Anastasia. A declaração de Aécio ocorre na véspera da visita do presidente Lula ao Estado. Hoje, Lula faz comício em Juiz de Fora, ao lado da presidenciável do PT, Dilma Rousseff, e do candidato da base aliada em Minas, Hélio Costa (PMDB).

A passagem de Lula e Dilma por Minas faz parte da estratégia de Hélio Costa de tentar nacionalizar a campanha estadual. O ex-ministro aposta na popularidade de Lula e no avanço da candidatura de Dilma no Estado, segundo maior colégio eleitoral do País.

Primeiro turno. Apesar disso, Anastasia começa a se destacar na liderança pelo governo, segundo as pesquisas de intenção de voto. No levantamento divulgado pelo Ibope na segunda-feira, Anastasia abriu nove pontos de vantagem sobre Hélio Costa e aparece com 41%, ante 32% do peemedebista - o tucano seria eleito no primeiro turno.

Enquanto Lula e os candidatos aliados participam de comício em Juiz de Fora, Anastasia e o ex-presidente Itamar Franco (PPS) - que disputa cadeira no Senado com apoio de Aécio - fazem hoje carreatas em São João Nepomuceno, Além Paraíba, Leopoldina e Visconde do Rio Branco.

Durante a campanha no sul de Minas, Aécio foi sucinto ao comentar a saída de Erenice Guerra do Ministério da Casa Civil. "É preciso que as apurações sejam feitas e punidos os responsáveis", afirmou. O ex-governador classificou como "gravíssimas" as acusações envolvendo o governo Lula. "O próprio governo federal e os partidos que estão lá devem ter a responsabilidade de não deixar dúvidas em relação à sociedade brasileira, se pactua ou não com esses atos", disse.

Cenário. Depois, à noite, uma nota divulgada pela assessoria de Aécio negou que ele tivesse vinculado a vitória de Anastasia a um projeto pessoal de candidatura à Presidência. "O fortalecimento do Estado, que, ele acredita, se dará com a reeleição do governador", diz a nota. "A eleição de Anastasia, por si só, garante o peso de Minas no cenário nacional. Esse é o grande projeto que Minas apresenta hoje ao Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.