Aécio pede retirada de tropas federais de Minas

Belo Horizonte ? O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, enviou na noite desta quarta-feira uma carta ao presidente Luiz Inácio Lulada Silva, na qual solicita a desmobilização do efetivo das ForçasArmadas, que desde a madrugada do último sábado foi destacado parapatrulhar a capital mineira e região metropolitana. Aécio havia pedidoa presença das tropas federais em função da paralisação dosprofissionais de segurança do Estado. A greve foi encerrada oficialmente nesta quarta-feira, com a homologação de um acordo de recomposição salarial firmado entre o governo mineiro e osdirigentes das entidades representativas das polícias Civil, Militar,do Corpo de Bombeiros e agentes penitenciários. À tarde, o governadorteve um encontro com o presidente, em Brasília, mas preferiu aguardar oresultado da assembléia geral dos servidores antes de oficializar opedido. Após retornar a Belo Horizonte, ele se reuniu, no Palácio dasMangabeiras, com o comandante da 4ª Divisão do Exército, general PauloCésar de Castro, e com o comandante-geral da PM de Minas, coronelSócrates Edgard dos Anjos, além de outros auxiliares.De acordo com o tenente-coronel Sylvio Antônio de OliveiraCardoso, oficial de comunicação da 4ª Divisão do Exército, os soldadosiniciam a retirada nesta quinta-feira pela manhã. Segundo ele, 3.045 homensforam deslocados para a operação, informação que até então vinha sendomantida em sigilo. Apenas a brigada de pára-quedistas do Rio de Janeiro retornará de avião. O contingente restante seguirá pelas rodovias. Além dos soldados lotados no Rio e de um efetivo da própria capital mineira, foramdeslocados militares de outras sete cidades do interior do Estado. ?Acho que até o meio-dia de amanhã a desmobilização de todo oefetivo estará concluída?, disse o tenente-coronel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.