Aécio promete socorro às vítimas das chuvas e sobrevoa MG

Estado contabiliza 12 vítimas das enchentes e há 41 municípios em situação de emergência

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo,

19 de dezembro de 2008 | 13h55

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), assegurou nesta sexta-feira, 19, que não faltarão recursos para o socorro às vítimas e recuperação dos danos causados pelas enchentes no Estado. Nesta sexta, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) confirmou a 12ª morte em decorrência das chuvas.   Veja também: Tudo sobre as vítimas das chuvas         O Corpo de Bombeiros confirmou o resgate do corpo Walter Resende de Oliveira, de 57 anos, vítima de afogamento durante a enchente na cidade de Cataguases, região da Zona da Mata. Conforme balanço da Cedec, subiu para 41 o número de municípios que decretaram situação de emergência desde o início do período chuvoso. Ao todo, 73 cidades já foram afetadas e cerca de 28 mil pessoas ficaram desalojadas ou desabrigadas.   Para avaliar as ações e fazer um balanço dos problemas decorrentes das chuvas, o Aécio se reuniu no final da manhã com os secretários de Transporte e Obras Públicas, Fuad Nomam Filho, e de Saúde, Marcus Pestana; além dos comandos da Defesa Civil estadual e Corpo de Bombeiros.   Foram anunciadas medidas como a distribuição de 3 milhões de cartilhas orientando o comportamento da população e alertando sobre os riscos de doenças nas regiões mais atingidas pelas enchentes. A Secretaria de Transporte e Obras Públicas elaborou um plano emergencial de R$ 20 milhões em ações preventivas e informou que 41 trechos da malha estadual encontram-se com eventuais danos. Pelo menos quatro trechos de estradas estavam alagadas e com o tráfego interrompido.   Barragens   O comandante dos Bombeiros, Celso Novaes, observou que as cerca de 700 barragens de mineradoras e da Companhia Energética (Cemig), cadastradas junto à Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), estão sendo monitoradas.   Após a reunião, Aécio faria um sobrevôo das áreas alagadas de várias cidades mineiras e pousaria em Divinópolis, na região centro-oeste, onde 80% da população estava sem água tratada. A previsão do governo é que o fornecimento seja restabelecido na manhã de sábado.   O governador cobrou das prefeituras a responsabilidade pelos trabalhos de prevenção nos períodos chuvosos, observando que a grande maioria das defesas civis municipais criadas nos últimos anos não saíram do papel.   De acordo com o coronel Alexandre Lucas, chefe da Defesa Civil do Estado, dos 603 municípios que criaram defesas civis, apenas "pouco mais de 100" órgãos estão funcionando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.