Aécio vai pedir recursos ao governo para danos da chuva

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), disse nesta segunda-feira, 8, que também vai solicitar ao governo federal um volume de recursos para a recuperação da infra-estrutura de regiões do Estado atingidas pelas chuvas. No domingo, o governador fluminense, Sérgio Cabral Filho (PMDB), anunciou que o Rio irá receber recursos do governo federal para as áreas atingidas pelas fortes chuvas. Aécio não revelou o montante que será pedido. Ele visita nesta terça-feira, 9, pela manhã, a cidade de Santa Rita do Sapucaí, no sul de Minas, aonde irá se reunir com prefeitos da região e a coordenação da Defesa Civil estadual. "Para que nós tenhamos uma ação articulada no enfrentamento da calamidade", observou. De acordo com o governador, a reunião servirá para que seja feito um diagnóstico dos danos provocados pelas chuvas em Minas e o volume de recursos necessários. "Pretendo amanhã fechar esse número para apresentar algo inclusive mais detalhado, não apenas no volume geral de recursos, mas onde eles seriam aplicados, em que tipo de iniciativas. E já definindo também a participação do governo do Estado em volume de recursos", acrescentou.Balanço da Defesa Civil Conforme balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), até esta segunda, 62 municípios mineiros já haviam decretado situação de emergência desde o início do período chuvoso, em 1º de outubro do ano passado. Ao todo, 20 pessoas morreram e 80 ficaram feridas. Outras 4.347 pessoas ficaram desabrigadas e 11.353 desalojadas. A frente fria que provocou nos últimos dias chuva forte e ininterrupta, principalmente em Belo Horizonte e região central, perdeu força no final de semana. A preocupação da Defesa Civil estadual concentra-se agora nas regiões sul, Zona da Mata e Triângulo Mineiro. Em Santa Rita do Sapucaí, no sul, a cheia de quase sete metros do rio Sapucaí - que corta a cidade - inundou bairros e a zona rural. A água chegou a um metro e meio de altura, obrigando moradores a deixarem suas casas. Cerca de 60 famílias abandonaram suas residências. Algumas foram levadas para escolas do município. A cheia do Sapucaí provocou inundações também em quatro bairros de Itajubá. Na cidade vizinha de Gonçalves, bombeiros retomaram ontem (08) as buscas ao lavrador Antônio Camilo da Silva, de 47 anos, desaparecido desde o último sábado. Conforme testemunhas, ele teria sido arrastado pela correnteza quando tentava atravessar, a cavalo, um ribeirão. Em Três Corações, o rio Verde subiu sete metros e aproximadamente 400 pessoas ficaram desalojadas. Na cidade de Capitólio, intensas chuvas causaram o transbordamento do rio Piunhi, que interditou parcialmente o tráfego na rodovia MG-050.Nas proximidades da cidade de Patrocínio, no Alto Paranaíba, o asfalto da BR-365 afundou quase um metro no quilômetro 393. Engenheiros do Dnit foram deslocados para o local e o tráfego estava sendo feito em meia pista. Defesa Civil regionalAécio também vai aproveitar a reunião dos governadores dos estados da região sudeste, nesta terça, no Rio, para defender a criação de uma coordenadoria regional de defesa civil, já previamente batizada de "Cordec". Ele discutiu o assunto na última sexta-feira com o chefe do Gabinete Militar do Estado, coronel James Ferreira Santos, em reunião para avaliar a situação dos municípios mineiros atingidos por fortes chuvas. Conforme o governador, a "Cordec Sudeste" atuaria na prevenção de catastrófes ambientais que possam afetar mais de um estado da região.Pela proposta que levará ao encontro com os governadores de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, o órgão deverá estabelecer planejamentos preventivos conjuntos, de forma a antecipar desastres e prejuízos humanos e materiais. Um sistema de alerta seria criado para detectar possíveis cheias em rios que cortem mais um Estado da região."É preciso que haja um monitoramento também envolvendo os quatro Estados", disse Aécio, observando que o grupo seria formado pelos chefes das defesas civis estaduais. O capitão Edilan Arruda, chefe da comunicação da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), destacou hoje que, dos 853 municípios de Minas, apenas cerca de 500 possuem defesa civil municipal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.