Aeronáutica apura se houve erro do piloto ou falha de equipamento

Segundo caixa-preta, posição incorreta do manete desencadeou série de problemas que levou à tragédia do vôo 3054

Luciana Nunes Leal, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2002 | 00h00

As informações das duas caixas-pretas do Airbus A320 da TAM, que se acidentou na pista de Congonhas no dia 17, deixando 199 mortos, não são suficientes para estabelecer o erro humano como único responsável pela tragédia. Os dados do vôo 3054 mostram que um dos manetes de comando das turbinas estava na posição errada, como indicou o Estado logo no início da investigação. Mas as informações decodificadas não revelam categoricamente se os computadores de bordo comandaram a operação, e não permitiram o uso dos freios manuais, ou se a aterrissagem foi de responsabilidade exclusiva do piloto.Essas hipóteses foram expostas ontem, em sessão secreta na CPI do Apagão Aéreo da Câmara, pelo chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho. Ele mostrou como a posição incorreta de um dos manetes do A320 desencadeou a série de problemas que levou à tragédia e expôs aos deputados a principal dúvida: se esse erro foi resultado de falha dos pilotos ou dos computadores da cabine.O brigadeiro afirmou, a certa altura, que ''''essas máquinas são muito próximas da perfeição'''', referindo-se ao Airbus. Mas também foi enfático ao citar a hipótese de que o piloto pode ter dado o comando correto no manete direito, colocando-o em ponto morto, mas uma falha de interpretação dos computadores considerou o instrumento na posição de aceleração (climb). O Estado teve acesso à exposição feita por Kersul aos deputados na sessão secreta.Manetes são como marchas e devem ficar em ponto morto na hora do pouso. O brigadeiro mostrou gráficos da caixa-preta com dados técnicos que comprovam que, na hora do pouso, os dois estavam corretamente na posição climb e, quando o avião tocou a pista, eles ''''se separaram'''': o manete esquerdo foi corretamente para a posição idle (ponto morto) e o outro ficou onde estava. Com isso, o computador fez duas interpretações: uma para o lado esquerdo, de frear, e outra para o lado direito, de acelerar para voar. ''''O pior de tudo isso foi que, como o computador computou (isso), ele começou a mandar potência no motor direito. Ou seja, o motor direito começou a fazer força para que o avião voasse. E o motor esquerdo, como estava tudo certo e foi ligado o reverso, fez o contrário.''''Nesse momento, explicou o brigadeiro, o avião começou a sair da pista, para o lado esquerdo, e o piloto fez o possível para alinhar o Airbus na pista paulistana. Seria o momento em que se ouve, nos diálogos, vários pedidos de ''''vira, vira, vira''''. Ao contrário do que se imaginava, o piloto provavelmente tentava voltar à pista principal de Congonhas e não desviar, já no limite entre a pista e a Avenida Washington Luís, onde o avião bateu no prédio da TAM Express e explodiu.A TRAGÉDIA ANALISADA PELO CHEFE DA INVESTIGAÇÃO>>''''Está no computador qual é a posição da manete (...) Temos uma segunda comprovação. Achamos o quadrante da manete. A manete está realmente fora da posição, lembrando que, com o impacto naquela velocidade, tudo pode acontecer.''''>>''''O fabricante constrói sabendo que a aeronave vai cair um dia. No transcorrer do período, vai haver um acidente. Ele tem que produzir a aeronave prevendo uma falha humana. Já tivemos acidentes muito parecidos, o que permite que especialistas façam suas hipóteses é porque tem um histórico... É que saída de pista é uma coisa que ocorre muito. Essas máquinas são muito próximas da perfeição.''''>>''''Nesse ponto aqui as duas manetes estavam juntas.'''' (apontando um gráfico da caixa preta de dados)>>''''Nesse ponto, que corresponde à hora que ela (aeronave) toca o solo, as manetes se separam. Então essa manete aqui (esquerda) fez o que tinha que fazer, mas essa aqui(direita) continuou o tempo todo na posição climb. Baseado nessa informação, que requer uma tentativa nossa de confirmação...''''>>''''Quando a aeronave toca no solo, acaba a sustentação dela, ela se acomoda nos amortecedores (...) (Spoiler) é o sistema de segurança, elas (as aeronaves) são muito bem feitas, são anos e anos de experiência.''''>>''''Quando o motor direito estava recebendo a informação de que a aeronave estava em climb, o que o computador mandou para todos os sistemas? Não freie porque isso aqui vai voar. E não abra os spoilers porque ele vai voar.''''>>''''O piloto pousou na distância prevista, porém já próximo do limite máximo, mas dentro dos limites. Não houve problema nenhum. A velocidade estava dentro dos padrões. Só que quando isso (o pouso) aconteceu os spoilers não abriram. Tanto que na gravação ouvimos: spoilers nothing.''''>>''''Tem uma posição aqui neste parâmetro do ângulo formado pelos dois freios que estão em cima. Então dá para gente ver que ele está tentando (...) Nós temos também como mostrar pelo parâmetro que o piloto freou (tentou frear) mesmo. Eles tentam, mas não conseguem. Cada segundo nessa velocidade é mais um pouco de pista.''''>>''''Mas pior de tudo isso foi que como o computador computou, ele começou a mandar potência no motor de direito. Ou seja, o motor direito começou a fazer força para que o avião voasse. E o motor esquerdo, como tava tudo certo e foi ligado o reverso, fez o contrário.''''>>''''O piloto deve ter tentado manter o avião na pista, usando todos os mecanismos que estavam à disposição dele. Então, quando o motor começou a embalar, foi ficando mais difícil manter o avião na pista. O avião começou a se deslocar para esquerda porque esse motor direito estava empurrando o avião.''''>>''''O reverso pinado só diz o seguinte: esse reverso não está disponível. O procedimento previsto pelo fabricante recomendou que fosse observado é que os manetes sejam retardados quando tocar (o solo).''''>>''''O computador computou que tinha alguém querendo voar e não tinha como manter o avião dentro da pista. Então o piloto deve ter comandado o ''''sting'''' para que o nariz do avião tentasse trazê-lo de volta ao centro e as coisas aí aconteceram naquela velocidade que os senhores podem imaginar.''''>>''''Ele saiu da pista e, pelo que a gente pode ter como hipótese, em nenhum momento foi identificado que aquele motor estava dando potência, porque, se tivesse, seria o movimento natural tentar reduzir aquela manete.''''>>''''Aquelo manete (direito) estava em climb.''''>>''''Esse sinal poderia ter sido dado errado pelo computador embora tripulação não tenha colocado errado (...) O computador está dizendo que o manete está em climb o tempo todo. Se o piloto provocou ou não provocou, em que posição ele deixou, realmente é uma coisa para a gente tentar se aprofundar e podemos não necessariamente chegar a alguma conclusão.''''>>''''Estávamos no nível de Espanha, Argentina e outros países. (Poderemos ser) rebaixados a zero. Vamos para o pior nível que teríamos imaginado.'''' (Sobre possível redução no nível de classificação internacional de aviação, por causa da divulgação de informações sigilosas da caixa preta.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.