Aeronáutica investiga desvio de granadas de seus estoques

O Comando da Aeronáutica enviou nota oficial informando que seu diretor de material aeronáutico e bélico, a quem cabe o controle dos armamentos, instaurou sindicância para investigar, da forma mais rápida possível, o suposto desvio de granadas de seus estoques para traficantes. Os explosivos foram fabricadas pela empresa RJC, de Lorena (SP), segundo a qual as granadas encontradas com os bandidos foram vendidas para a Aeronáutica nos anos de 1996 e 1998. A nota reitera que não consta, nos registros existentes de controle de armamento do Comando da Aeronáutica, o desaparecimento, furto ou roubo de granadas. O comandante da Aeronáutica determinou, de imediato, uma recontagem de todo o estoque, informa ainda o texto.

Agencia Estado,

23 de abril de 2004 | 12h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.