Aeronáutica mantém 120 controladores de plantão na Páscoa

A Aeronáutica montou um plano de emergência para tentar evitar atrasos nos vôos e tumultos nos aeroportos neste feriado prolongado de Páscoa. O plano de emergência da Aeronáutica inclui 120 controladores da Defesa Aérea, que vão ficar de prontidão e podem ser acionados a qualquer momento se houver problemas nos aeroportos e novos protestos dos controladores, segundo informações do jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo. Em caso de nova paralisação, poderá ser pedida a prisão preventiva dos responsáveis. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por sua vez, garantiu que não haverá problemas nem agora, durante a Páscoa, nem depois do feriado prolongado. O governo só deverá retomar as negociações com os controladores de vôo depois da Semana Santa. Três inquéritos policiais militares foram instaurados pela Aeronáutica para investigar o motim dos controladores de Brasília, Curitiba e Manaus. A investigação pode durar até 40 dias. Na última sexta-feira, 30, controladores de vôo de todo o País pararam os serviços em protesto às condições de trabalho e pediram a desmilitarização do setor. A reação de Lula, que suspendeu a prisão dos controladores e amotinados e mandou o governo negociar com eles, causou uma crise entre os militares da Aeronáutica e o governo federal. Na quarta-feira, 4, o presidente também afirmou que o ministro da Defesa, Waldir Pires, vai continuar no cargo, apesar da crise aérea vivida pelo País. Companhias As companhias aéreas também fizeram planos para outro possível caos aéreo durante o feriado da Páscoa. Elas colocaram aviões extras e reforçaram as equipes de atendimento nos aeroportos do País. Enquanto isso, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prometeu intensificar a fiscalização nos principais aeroportos.

Agencia Estado,

05 Abril 2007 | 08h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.