Aeroporto de Sorocaba terá força-tarefa contra crime organizado

O aeroporto de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, será o primeiro entre os terminais administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) a contar com uma força-tarefa especializada na repressão do crime organizado. O terminal lidera as estatísticas de pouso e decolagem de aeronaves entre os aeroportos vinculados ao Daesp e estaria na rota de quadrilhas especializadas em contrabando e tráfico de drogas. Além disso, é utilizado para o pouso de aviões que transportam valores. De acordo com o delegado assistente da Polícia Federal, Menotti Barros de Oliveira, a criação da força-tarefa foi definida pelo Plano Nacional de Combate à Criminalidade, do Ministério da Justiça, e terá o apoio da Secretaria da Segurança Pública do Estado. A equipe será integrada por um delegado e agentes da Polícia Federal, delegado e investigadores da Polícia Civil e um oficial tenente e soldados da Polícia Militar. Segundo Oliveira, a PF já instalou sua equipe no aeroporto e aguarda a designação dos demais integrantes da força. "É o primeiro aeroporto regional do Estado a dispor desse serviço." Ele contou que existem entendimentos com a prefeitura para a inclusão de guardas municipais na força-tarefa. "Eles conhecem muito bem as características locais." O aeroporto de Sorocaba seria o alvo de um comboio com 15 integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), interceptado pela Polícia Militar na Rodovia Senador José Ermírio de Moraes (Castelinho) em março deste ano. No confronto, 12 bandidos morreram. A polícia apurou que o bando pretendia roubar um avião que pousaria com R$ 20 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.