Aeroporto no Rio terá novo esquema de segurança

A Infraero adotará em janeiro um novo esquema de segurança no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, zona norte do Rio, com a criação de áreas de proteção aos turistas no saguão de desembarque dos dois terminais e a restrição do tráfego de veículos nas rampas de acesso. As medidas serão testadas a partir da próxima segunda-feira, 18, visando aos Jogos Pan-Americanos do Rio, em julho de 2007.Para o superintendente regional da Infraero, Pedro Azambuja, o projeto vai acabar com o maior problema do aeroporto: o assédio "criminoso" aos turistas, principalmente os estrangeiros, no desembarque. "Eles ficam expostos ao assédio de cambistas e de transporte ilegais e, eventualmente, de ofertas que podem chegar até ao turismo sexual."As rampas de acesso ao desembarque nos terminais terão cancelas, redutores de velocidade e serão restritos aos veículos autorizados, como táxis e ônibus de turistas credenciados. Antes de irem para a área pública do saguão, os passageiros receberão ofertas de serviços de câmbio, transporte, informações sobre a cidade e hotéis."Eles terão o maior conforto e segurança, até porque as pessoas sem autorização não poderão entrar na área controlada e tampouco vão visualizar quem estiver lá dentro", declarou o superintendente, certo de que essa medida vai facilitar o trabalho de inteligência e investigação da polícia no combate às práticas ilegais no saguão. "Essas atividades redundam em assaltos nas vias expressas."Na semana passada, oito criminosos fecharam uma das saídas da Linha Vermelha e assaltaram a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Ellen Gracie, e o vice-presidente do STF, Gilmar Mendes. Ambos seguiam para um hotel da zona sul depois de desembarcarem no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim.A Infraero acredita que vai acabar com a confusão no trânsito nas vias de acesso. "O passageiro habitual sabe o que é a rampa superior (embarque) e a inferior (desembarque), mas o eventual não. Ele fica na dúvida e, às vezes, provoca acidentes", afirmou o superintendente, que gastou menos de R$ 50 mil para pôr em prática o novo esquema de segurança. " O acesso só será livre na rampa de cima. A gente quer disciplinar o trânsito e facilitar a vida das pessoas. Tudo vai ser muito bem sinalizado. O aeroporto sempre foi pensado de dentro para fora. Nós estamos tentando mudar esse conceito", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.