Aeroportos brasileiros registram movimento tranqüilo

O movimento nos principais aeroportos do País é tranqüilo na manhã desta quinta-feira, 22, segundo informações da Rádio Eldorado. O Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, não tinha decolagens atrasadas por volta das 9h30. Apenas o vôo de partida da TAM 3036, com destino a Joinville, teve seu horário alterado das 7h25 para as 15h40. Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), nenhum vôo foi cancelado e dez partidas e sete chegadas estavam confirmadas para a manhã. Apesar do movimento intenso de passageiros, não havia filas nos guichês. A situação do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, também era tranqüila. Doze partidas estavam programadas para esta quinta-feira. Apenas um vôo, que deveria decolar às 7h30, partiu às 9 horas. Outras quatro decolagens apresentavam atrasos de mais de uma hora: dois da BRA, um da Varig e outro da TAM. Estão programados 57 vôos até as 20 horas. O tempo de espera nas filas dos guichês da TAM e da Gol era de aproximadamente 15 minutos. Em Curitiba, apesar do nevoeiro, o aeroporto estava aberto para pousos e decolagens. O fluxo de passageiros estava normal e as filas demoravam cerca de dez minutos. Havia 13 partidas e 14 chegadas programadas. A Infraero não registrava atrasos, nem cancelamentos de vôos. O Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, apresentava alguns atrasos. Eram um vôo da Gol, com destino ao Rio, com atraso de duas horas e meia; um da TAM para São Paulo, com mais de uma hora de atraso; e um vôo da TAM para Macapá-Belém, cancelado. Quatro vôos que deveriam chegar do Nordeste estavam com atrasos de três horas e meia. Em Fortaleza, três vôos tinham os horários alterados: um para Amsterdã, com quatro horas de atraso; um para Miami, com três horas; e um para Salvador, com atraso de cerca de 30 minutos. Quatro pousos de São Paulo estavam no horário previsto.

Agencia Estado,

22 Fevereiro 2007 | 10h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.