Aeroportos de SP, Rio e Brasília apresentam novos atrasos

Mesmo após a decisão da Aeronáutica na última terça-feira de aquartelar cerca de 150 controladores de tráfego aéreo no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 1), em Brasília, para acabar com os atrasos de vôos, os aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília voltaram a registrar algumas esperas na manhã desta quarta-feira, 15, feriado da Proclamação da República.Mas, apesar disso, não havia exaltação dos passageiros no embarque como ocorreu no último feriado em 2 de novembro, quando foram registrados atrasos de até 20 horas em mais de 600 vôos.No Aeroporto de Cumbica, o movimento até às 10 horas era maior do que numa quarta-feira comum, mas tranqüilo. A maioria dos atrasos estava entre 10 e 15 minutos, considerados normais. A exceção ficou por conta de um vôo da Gol vindo de Rio Branco que estava programado para chegar às 9h10, mas foi remarcado para as 11 horas. Na parte da manhã, um outro vôo da Gol vindo de Santa Cruz de la Sierra atrasou 40 minutos. Pelo menos seis vôos que partirão no período da tarde já foram remarcados para decolarem com uma hora de atraso. Mas as companhias e a Infraero não confirmaram se os atrasos têm relação com problemas no controle de tráfego aéreo. No Aeroporto de Congonhas, a situação também era tranqüila e por volta das 10 horas, somente dois pousos registravam atraso. Em Brasília, no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, havia pelo menos três vôos atrasados por volta das 10 horas. No Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, havia filas nos guichês das companhias aéreas, mas sem tumulto e foram registrados cerca de 6 atrasos e 6 cancelamentos até às 10 horas. No Aeroporto Santos Dumont, também no Rio, não foram registrados atrasos. Oito vôos foram cancelados na ponte São Paulo-Rio por falta de passageiros neste feriado.Em Porto Alegre, o dia começou calmo no Aeroporto Internacional Salgado Filho, com atrasos de uma hora em apenas dois vôos na parte da manhã. Na terça-feira, um total de 481 dos 1.355 vôos, cerca de 35%, atrasou nos principais aeroportos de todo o País. Na segunda-feira, os atrasos chegaram a 50% dos vôos. Segundo as autoridades do setor aéreo, 150 controladores de tráfego aéreo ficarão aquartelados em Brasília para evitar mais transtornos com possíveis ausências durante os próximos dias, pois no último fim de semana dois controladores se afastaram por problemas pessoais.Além disso, vinte e sete controladores do Cindacta 1 seguem afastados por licença médica, após o acidente com o vôo da Gol que vitimou 154 pessoas em setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.