Aeroportos do interior de SP ganham raio-x e detector de metal

Pelo menos dois dos quatro aeroportos do interior de São Paulo que deveriam começar nesta segunda-feira a usar equipamentos de raio-x e detector de metais já estão adotando o novo sistema de segurança. São José do Rio Preto e Presidente Prudente já se adequaram e Araçatuba deverá iniciar a operação nesta semana. A situação do aeroporto Leite Lopes, de Ribeirão Preto, é mais complicada: a Polícia Federal não tem agentes para uma fiscalização permanente, o que impossibilita o uso dos equipamentos."Se tiver um agente da PF é possível operar o sistema, mas é a própria PF que definirá quantas pessoas serão necessárias nesse serviço", disse o administrador do aeroporto de Ribeirão Preto, Álvaro Cardoso Júnior, que deverá reunir-se nesta terça-feira com o delegado regional da PF, José Bocamino. "No momento, tenho uma equipe limitada", disse Bocamino. Só no final de setembro, com a formação de novos agentes, é que poderia designar cerca de oito funcionários para o aeroporto.O assessor de segurança aeroportuária do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), Eduardo Ferreira de Toledo, disse que estará em Ribeirão Preto na sexta-feira para falar com Bocamino. Segundo Toledo, o sistema que será usado nas quatro cidades é o usado em aeroportos internacionais.O de Ribeirão Preto, que transporta cerca de 35 mil passageiros/mês, com 32 vôos diários de quatro empresas, poderá tornar-se internacional, já que o governo estadual solicitou, na semana passada, que o Ministério da Aeronáutica o habilite para vôos de carga para o exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.