Aeroportos sofrem reflexo do apagão aéreo de domingo

Esta segunda-feira, 19, começou com atrasos no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, que tinha nove vôos atrasados. Os aeroportos de Cumbica e Brasília também registravam atrasos no começo da manhã. A expectativa é de que haja reflexo do apagão de domingo, quando o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta-1) sofreu nova pane. Segundo o brigadeiro José Carlos Pereira, presidente da Infraero, até às 14 horas desta segunda não há possibilidade da situação se normalizar nos principais aeroportos das regiões Centro-Oeste e Sudeste.Congonhas recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para funcionar até às 1h30 para tentar minimizar os problemas causados pelo apagão. O terminal reabriu às 6 horas e registrava, às 7h15, pelo menos nove vôos atrasados. Vários vôos que deveriam ter saído na noite de domingo em Congonhas foram cancelados e transferidos para a manhã desta segunda-feira, o que pode causar um efeito cascata.A situação era parecida no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, que tinha 17 vôos atrasados. No Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, as filas eram grandes e muita gente reclamava das informações desencontradas, mas não houve confusão entre passageiros e atendentes dos balcões da empresas aéreas.O problema no Cindacta-1, responsável pelo controle aéreo das regiões Sudeste e Centro-Oeste, ocorreu durante 20 minutos, a partir das 10h40. Só por volta das 14 horas o sistema informatizado voltou a funcionar. Entretanto, os atrasos e o congestionamento nos balcões de check-in das companhias já eram enormes. Não há números oficiais da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), mas a TAM - que responde por mais de um terço dos vôos - relatou que teve atrasos em 46% das operações domésticas no domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.