Aeroportos têm poucos atrasos; 299 vôos foram cancelados

Dos 1.553 vôos programados para esta segunda-feira, 105 saíram com atraso superior a uma hora

Pedro Henrique França, da Agência Estado,

24 de dezembro de 2007 | 18h58

O índice de vôos cancelados nos aeroportos brasileiros subiu mais nas últimas horas e atingiu 19,3% no último boletim divulgado pela Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), que traz a situação até as 19 horas. Dos 1.553 vôos programados para esta véspera de Natal, 299 foram cancelados. Outros 105 saíram com atraso superior a uma hora, ou 6,8% - porcentual que ficou sob controle durante o dia. O aeroporto de Pampulha, em Belo Horizonte, responde pelo índice mais alto de cancelamentos do País, onde 22 dos 28 vôos previstos não foram realizados, ou 78,6%. As outras seis partidas saíram dentro do horário. Também é elevado o porcentual de cancelamentos nos aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com 54,5%, de Imperatriz, no Maranhão, com 50%, e de Uberaba, em Minas Gerais, com 42,9%. Em São Paulo, o aeroporto de Congonhas teve 26% das partidas canceladas, mas somente 2,4% saíram atrasadas. Em Guarulhos, a quantidade de vôos que deixaram o aeroporto pelo menos uma hora após o previsto é bem menor, de 7,3%, e os atrasos somaram 8,3% do total.  O Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, continua registrando o mais elevado índice de cancelamentos, com a pior situação em todo o País. Dos 24 vôos programados, 20 foram cancelados, o que equivale a 83% do total. Em Minas Gerais, a situação também é complicada nos terminais aeroportuários de Uberaba, com 42,9% de vôos cancelados, e Uberlândia, com cancelamentos em 35,3%. O Aeroporto Tancredo Neves, em Belo Horizonte, apresenta problemas um pouco menores - 22,6% dos vôos foram cancelados e 6,5% saíram com atrasos.  No Rio de Janeiro, no Aeroporto Santos Dumont, dos 60 vôos agendados até às 18 horas, 33 (55% do total) foram cancelados. No Galeão, também no Rio, 13,14% foram cancelados, e 11 saíram fora do horário   Em Porto Alegre, 32,7% dos vôos foram afetados com os cancelamentos. Em Vitória, 26,9% foram cancelados. Salvador teve problemas de cancelamento em 6,5% dos vôos, enquanto o aeroporto de Brasília registrou casos de cancelamento em 11,2%. Texto atualizado às 19h40

Tudo o que sabemos sobre:
Aeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.