Aeroportuários aceitam 6% e suspendem greve

Proposta da Infraero divide categoria: Minas, Rio e Campinas são contra

Fabiane Leite, do Estadão

13 Julho 2007 | 21h36

O Sindicato dos Aeroportuários aprovou ontem, de forma apertada, a proposta de reajuste de 6% para a categoria, apresentada pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) na segunda-feira. Assim, não há mais risco de greve nos aeroportos do País, segundo o presidente da entidade, José Gomes de Alencar Sobrinho. A proposta foi aceita em 53% das 60 assembléias feitas no País. Mas aeroportos importantes, como Tom Jobim (RJ), Confins (MG), Pampulha (MG) e Viracopos (SP) não a aceitaram. Os funcionários de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo, foram favoráveis ao acordo. Mesmo assim, Alencar Sobrinho diz que não há risco de paralisações isoladas nos aeroportos que rejeitaram a proposta. "A coordenação nacional define. Não há movimento em separado", afirma o sindicalista. O acordo deverá ser assinado na próxima segunda-feira em Brasília, na sede da Infraero. Controladores Nesta sexta-feira, houve protesto na frente do Teatro Municipal de São Paulo pelo "direito a expressão" e contra a prisão de Carlos Trifilio, presidente da Federação Brasileira das Associações de Controladores de Tráfego Aéreo. Trifilio, detido por dar entrevistas, deve deixar a prisão na terça-feira, mas a família já teme novas punições.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea paralisação greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.