Aeroportuários entram em greve; adesão chega a 80%

Os aeroportuários de todo o País estão em greve desde a meia-noite desta terça-feira, 4, paralisando as atividades, por tempo indeterminado, nos 64 dos 66 aeroportos administrados pela Infraero. O objetivo é pressionar a direção da Infraero e o governo federal para que seja aprovado um reajuste salarial, de 37,4%, além do plano de carreiras da categoria. Segundo o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), a adesão chegava a 80% até as 8 horas desta manhã, quando um novo turno de funcionários começa. Por exigência legal, 20% dos trabalhadores aeroportuários não fará greve para evitar conseqüências mais graves, mas para isso, o volume de vôos também deverá ser reduzido durante o movimento.Os aeroportuários, um total de 23 mil funcionários entre diretos e terceirizados, de acordo com o sindicato, têm como funções, o atendimento à navegação aérea (torre de controle), fiscalização do embarque e desembarque, pátio de manobras, acoplamento de finger nas aeronaves, fiscalização de abastecimento e terminal de carga aérea.Transtornos em CumbicaO Aeroporto Internacional de Guarulhos, por exemplo, na região metropolitana de São Paulo, já começa a sofrer as conseqüências da paralisação. Às 9 horas desta terça-feira, o sistema informativo estava precário e as informações, que são atualizadas durante a madrugada, estavam sendo feitas por alguns funcionários que ainda estão trabalhando. Segundo o sindicato, as filas nos guichês das companhias e nas salas de embarque estavam com número de passageiros acima do normal. A Infraero, no entanto, nega que a greve esteja prejudicando o funcionamento do aeroporto.Segundo a instituição, apenas 30% dos 1.272 funcionários do aeroporto aderiram à paralisação e as operações estão correndo tranqüilamente, sem atrasos nos vôos. Apenas a área de informação do aeroporto está sendo prejudicada. As placas utilizadas para conferência de chegadas e partidas não estão funcionando, mas os passageiros podem utilizar o sistema de monitores de TVs espalhados pelos saguões para conferência dos vôos, que continuam a ser atualizados, de acordo com a Infraero.BrasíliaO Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília também foi palco da manifestação dos aeroportuários. Na manhã desta terça, funcionários com camisetas do sindicato da categoria se aglomeraram nos corredores do aeroporto, o que provocou um certo tumulto. Eles pediam aos passageiros, por meio de faixas, que procurassem outro aeroporto. Com a movimentação, os passageiros e funcionários das companhias aéreas encontraram dificuldades para furar o bloqueio dos manifestantes.Matéria alterada às 15h40 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.