Aeroviários e empresas têm reunião e novo acordo é proposto em Brasília

O Ministério do Trabalho, que intermediou a negociação, sugeriu que as empresas com maior capacidade de pagamento apliquem reajuste salarial geral de 6,5%.

Agência Brasil,

26 de dezembro de 2011 | 20h56

SÃO PAULO - Uma nova proposta foi apresentada na reunião desta segunda-feira, 26, entre os sindicatos dos aeroviários e as empresas do setor, mediada pelo Ministério do Trabalho. Os representantes do ministério sugeriram que as empresas com maior capacidade de pagamento adotem um piso salarial de R$ 1,1 mil para seus operadores e que o reajuste salarial geral seja de 6,5%. Atualmente, há uma proposta de piso salarial de R$ 1 mil que está sendo estudada por empresas e trabalhadores.

 

A reunião ocorreu em Brasília, na sede do Ministério do Trabalho, mas ainda não há um acordo. Os sindicatos irão consultar as bases e as empresas irão se reunir para definir se aceitam ou não a sugestão do ministério.

 

Os aeroviários pedem reajuste de 7% e chegaram a fazer greve de três dias nos aeroportos mais movimentados do país. A paralisação, no entanto, já foi encerrada e os terminais operam com normalidade. A próxima reunião de negociação ainda não foi marcada, mas deve ocorrer na semana que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.