Afetados pela chuva no Paraná já passam de 4 mil

Situação é mais grave no município de Sengés, onde uma casa com três pessoas foi arrastada pela força da água

Agência Estado,

31 Janeiro 2010 | 13h01

O número de pessoas afetadas em decorrência das chuvas no Estado do Paraná subiu para 4.041, segundo boletim divulgado neste domingo, 31, pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná. Até o momento, 14 municípios das regiões norte e dos Campos Gerais têm problemas devido às chuvas. O número de desabrigados é de 1.106 (pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos) e de desalojados, de 748 pessoas (as que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares). Há quatro mortes confirmadas, três pessoas desaparecidas e 17 feridas. Foram danificadas 764 casas. O número de casas destruídas chega a 81. O norte do Paraná tem a situação mais grave, de acordo com a Defesa Civil.

 

As quatro mortes foram registradas no município de Sengés, na divisa do Paraná com São Paulo. Segundo o boletim da Defesa Civil, a princípio, as três pessoas seriam da mesma família e estariam em casa arrastada pela força da água, mas os corpos não foram identificados. O município está isolado, sem acesso por rodovia, devido à queda de pontes entre São João da Boa Vista e Itararé, e sem comunicação por telefone. Duas aeronaves do governo do Estado fazem a ponte aérea entre Sengés e Jaguariaiva.

 

De acordo com o órgão, além de Sengés, São José da Boa Vista, Almirante Tamandaré, Jaguariaíva, Campo Largo, Campo Magro, Arapoti, Ibaiti, Pinhalão, Sapopema, Tomazina, Colombo, Campina Grande do Sul e Ibiporã informaram problemas em consequências da chuva. Em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, algumas pessoas tiveram de deixar suas casas devido ao aumento do nível das águas dos Rios Palmital e Iraí, mas, exceto uma família que continua desabrigada, puderam retornar, pois o nível dos rios voltou a ficar próximo ao normal.

 

Estradas

 

Outras consequências das chuvas foram quedas de barreiras, pontos de alagamento e risco de quedas de pontes. A Defesa Civil citou dados da Polícia Rodoviária Federal de que a BR-476 (Estrada da Ribeira) teria pelo menos oito quedas de barreiras. O tráfego está liberado para automóveis. Ônibus percorrem trechos parcialmente liberados, mas os passageiros precisam fazer baldeações para outros vindo de sentido oposto.

 

A Defesa Civil informa ainda que, conforme a Polícia Rodoviária Estadual, as rodovias estaduais mais afetadas são as que dão acesso ao município de Sengés (PR-151 e PR-090). Na PR-151, houve quedas de barreira nos quilômetros 200 e 185 e, segundo dados da concessionária Rodonorte divulgados pela Defesa Civil, também no quilômetro 8 da SP-239, no Estado de São Paulo. De acordo com a Defesa Civil, a Rodonorte estaria tentando providenciar a liberação da pista. Já no quilômetro 15 da PR-090 (Estrada do Cerne, que liga Curitiba ao norte do Estado), há cratera de cerca de sete metros, e o desvio está sendo feito por Campo Magro, próximo a Curitiba. No quilômetro 27, parte do asfalto baixou, e o tráfego está liberado em meia pista. A passagem está bloqueada nos quilômetros 37 e 39, com desvio por Bateias.

Mais conteúdo sobre:
chuvas Paraná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.