Africanos clandestinos cumprem prisão administrativa

Os seis africanos que desembarcaram anteontem no Recife, viajando como clandestinos no navio de bandeira grega Anagel Eagle, tiveram prisão administrativa decretada ontem e estão recolhidos no Centro de Triagem de Abreu e Lima, na região metropolitana. A empresa que agencia o navio, a Williams Serviços Marítimos Ltda, se negou a assinar protocolo se comprometendo a arcarcom as despesas de hospedagem e segurança do grupo. Nesses casos, de acordo o assessor de comunicação da PolíciaFederal em Pernambuco, Giovani Santoro, a prisão administrativa é prevista pelo Estatuto do Estrangeiro. Eles deverão permanecer no Centro de Triagem até à conclusão do processo de repatriação, o que deve ocorrer em cerca de 25 dias. Quatro dos estrangeiros são da Libéria e dois da Nigéria. Nos últimos dois meses 16 africanos chegaram clandestinamente a bordo de embarcações ao Recife. Os outros 10 vieram no navio de bandeira chinesa Tu King e aguardam apreciação do governo brasileiro a um pedido de refúgio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.