Agaciel Maia ressurge como candidato a deputado distrital

Ex-diretor do Senado foi protagonista do escândalo dos atos secretos

Carol Pires / Brasília, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2010 | 00h00

O ex-diretor do Senado Agaciel Maia ressurgiu na cena de política de Brasília como candidato a deputado distrital pelo PTC. Protagonista do escândalo dos "atos secretos" e suspeito de envolvimento com licitações fraudulentas da Casa, Agaciel declarou ao Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal ter R$ 2.725.978 em conta corrente.

Exonerado do cargo em março de 2009, após divulgação de que escondia ser proprietário de uma casa avaliada em R$ 5 milhões, o ex-diretor declarou à Justiça Eleitoral ter a quantia de R$ 3,862 milhões, entre bens e dinheiro em conta bancária.

A casa onde Agaciel mora, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, foi descrita na declaração de bens como sendo um terreno de R$ 180 mil. Para justificar o valor da mansão, ele alegou ter tido gastos com duas obras no local: uma "construção de banheiros em acabamento em gesso" no valor de R$ 647,9 mil e uma "área de lazer / piscina / SPA para hidromassagem" de R$ 84,5 mil.

Completam a lista de bens do ex-diretor duas casas no Rio Grande do Norte - uma de R$ 30 mil e outra de R$ 95 mil mais benfeitorias de R$ 64 mil; duas propriedades rurais (R$ 50 mil cada); e quatro contas bancárias com R$ 2,1 milhões, R$ 69,6 mil, R$ 460,4 mil e R$ 3 mil, respectivamente.

"Minha declaração de renda está rigorosamente de acordo com a lei", disse Agaciel ao Estado, alegando trabalhar no Senado há mais de 30 anos "sempre com bons salários".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.