FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Agência deixa de pagar e passageiros perdem voos internacionais

Por falha da Time Brazil, turistas com viagens para Miami, Orlando, Lima e San Jose não conseguiram embarcar em voos da Avianca 

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

20 Março 2015 | 19h05

RIO - Turistas com viagens para Miami, Orlando, Lima e San Jose que compraram passagens no site Hotel Urbano não conseguiram embarcar em voos da Avianca que partiam de São Paulo, Minas Gerais, Rio e Rio Grande do Sul. Segundo a empresa e o site, a agência de turismo Time Brazil, responsável pelos pacotes turísticos, deixou de pagar companhias aéreas e hotéis.

As empresas relataram que representantes da Time Brasil sumiram sem dar satisfações sobre o dinheiro. O Hotel Urbano informou que cem pessoas foram realocadas em voos de outras companhias e conseguiram viajar. O problema ocorre desde quinta-feira, 19, quando liminar do Hotel Urbano, determinando que a Avianca embarcasse todos os passageiros independentemente da falta de pagamento, foi revogada pela 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio.


“A gente nem conseguiu romper o contrato. Desde que isso aconteceu, eles (representantes da Time Brasil) não dão nenhuma posição”, declarou Roberta Antunes, fundadora do Hotel Urbano. No total, segundo ela, 3,5 mil usuários do site compraram pacotes operados pela Time Brasil válidos até o fim do ano. Destes, 500 embarcaram. Roberta disse que as viagens têm sido custeadas pelo Hotel Urbano e que outras companhias aéreas estão efetuando embarques normalmente, mesmo sem pagamento. 

A Avianca, em nota, informou que a Time Brazil não efetuou o pagamento de mais de 1,7 mil reservas de bilhetes aéreos. Todos os voos sem pagamento saíram a partir de 8 de março deste ano. No entanto, por causa da liminar, só a partir de quinta-feira os embarques foram suspensos. 

De acordo com o Hotel Urbano, os e-tickets, que comprovam a compra e são necessários para a emissão do cartão de embarque foram enviados aos clientes. Já a Avianca não informou se os bilhetes foram enviados. O Procon de São Paulo esclareceu que o Código de Defesa do Consumidor determina que as companhias aéreas são obrigadas a embarcar passageiros com e-ticket. Segundo o Procon, quem não pagou pela passagem foi a agência de viagens, não o passageiro, o que garante o direito ao embarque. 

O Estado tentou contatar a Time Brasil por telefone, mas não foi atendido. O site Reclame Aqui registrou 236 queixas contra a Time Brazil no último ano. 

Mais conteúdo sobre:
Time BrazilAviancaHotel Urbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.