Agência do Bradesco sofre assalto no RJ

Funcionários de uma agência do Bradesco, no centro da cidade, foram mantidos reféns de assaltantes durante 40 minutos, nesta manhã. Os criminosos ameaçavam os funcionários, se diziam integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), e tinham sotaque paulista, segundo relato das vítimas. Depois de levar todo o dinheiro do cofre (R$ 71.682), os assaltantes fugiram, quebrando a porta da agência. Duas mulheres faziam parte da quadrilha.O assalto teve início por volta das 8h30. O gerente-administrativo Maurício Bandeira, de 42 anos, foi abordado por um homem que vestia uniforme da Telemar, a companhia telefônica do Estado, na sala de auto-atendimento do banco. Ele queria saber como preencher o formulário de depósito. Bandeira estranhou e tentou voltar. Foi dominado por outros três assaltantes.Os quatro criminosos entraram na agência, renderam os funcionários que já haviam chegado e ordenaram que o cofre fosse aberto. Eles fugiram depois de roubar o dinheiro. O alarme do banco foi acionado quando os criminosos já haviam escapado. A Polícia Militar cercou a agência, mas já não havia ninguém no prédio."Os criminosos humilharam o gerente. Deram tapa na cara, colocaram revólver na cabeça", contou o delegado substituto da Delegacia de Roubos e Furtos, Marcelo Martins, que investiga o caso. O delegado disse não acreditar que os integrantes da quadrilha realmente pertençam ao PPC. "De fato, as vítimas contaram que os assaltantes tinham sotaque paulista, mas dizer que é do PPC parece coisa para desviar o trabalho da polícia", afirmou.O delegado disse ainda que é difícil confirmar a participação de mulheres no assalto. "Elas ficaram do lado de fora, apenas observando. Não têm participação direta", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.