Agência quer discutir formas de descongestionar Congonhas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) pretende realizar um debate público com a população da cidade de São Paulo para buscar meios de desafogar o Aeroporto de Congonhas, na zona sul. A consulta deverá ser realizada antes de maio do ano que vem, quando a pista principal de Congonhas estará em obras, informa o presidente da Anac, Milton Zuanazzi. Uma das alternativas em estudo é aumentar a utilização do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos."A Anac está preparada para dar partida a esse debate com a comunidade de São Paulo. Não é uma coisa que pode se mexer sem aprofundamento", afirmou Zuanazzi. Segundo ele, Congonhas já ultrapassou seu limite de capacidade, de cerca de 13 milhões de passageiros por ano. Como exemplo, citou que este ano deverão passar pelo aeroporto paulistano em torno de 15 milhões de usuários "Congonhas não tem mais capacidade de crescimento. Não tem mais como planejar o futuro de São Paulo a partir de Congonhas. Isso é consenso", acrescenta.No mês passado, no entanto, a Anac realizou uma licitação pública para a oferta de mais permissões de pouso e decolagem (slots) em Congonhas. O mesmo poderá acontecer agora em Guarulhos, para minimizar a super utilização de Congonhas. Zuanazzi, por sua vez, diz que não há excesso de novos vôos, o que poderia contribuir para os atrasos e cancelamentos de vôos que vêm sendo registrados. "Não temos excesso de linhas aéreas nos céus no Brasil. Estamos com menos linhas hoje do que em março, por causa da crise da Varig. A questão dos controladores está ligada à falta de gente", afirma.O presidente da Anac diz que atualmente o espaço aéreo brasileiro tem cem linhas aéreas a menos do que em março. Ele também ressalta que as mudanças que estão em estudo para desafogar Congonhas não têm relação direta com a operação-padrão deflagrada em meados de outubro pelos controladores de tráfego aéreo de Brasília. Para este fim de ano, ele acredita que a situação vai melhorar. "Imagino que até o fim do ano vamos melhorando, sempre com pequenos problemas, mas sem aquele caos que nós verificamos. Acho que a situação se normaliza a partir de fevereiro e março quando os novos controladores vão se formar", disse Zuanazzi.Zuanazzi também confirmou para março de 2007 a realização do primeiro concurso para preenchimento de vagas no órgão, que completou sete meses de instalação. O edital deverá ser lançado em dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.