Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Agências bancárias são saqueadas após protestos no Rio

Cinco bancos na rua da Assembleia foram atacadas por manifestantes

Sergio Torres, O Estado de S. Paulo

18 de junho de 2013 | 09h11

RIO - A agência do banco Santander na esquina das ruas da Assembleia e do Carmo foi saqueada pelos manifestantes que ocuparam o centro do Rio na noite desta segunda-feira, 17, após o protesto contra o aumento da passagem de ônibus. Todos os caixas automáticos da agência desapareceram. Nenhuma vidraça resistiu à pedras arremessadas durante o tumulto.

O cenário era de destruição total. Era como se uma bomba tivesse explodido dentro do banco, como disse, assustado, um funcionário que chegava para trabalhar às 6h40.

Todas as cinco agências bancárias localizadas na rua da Assembleia (dois Santander, Itaú, HSBC e Banco do Brasil), no trecho entre as avenidas Primeiro de Março e Rio Branco, foram atacadas. No Itaú, a multidão encurralou cerca de dez policiais militares e tentou linchá-los. A agência ficou destruída no confronto.

Com a ajuda de manifestantes que pediam o fim da violência, os PMs conseguiram escapar, debaixo de pedradas, pauladas e chutes. Foram perseguidos até a rua São José.

Três deles, desgarrados dos companheiros, conseguiram abrigo no prédio número 7 da rua do Carmo. Os vidros da portaria foram destruídos. Os policiais só conseguiram sair depois do socorro de colegas, que dispersaram os manifestantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.