Ricardo Araújo/Estadão
Ricardo Araújo/Estadão

Agente da Força Nacional é baleado na cabeça ao reagir a assalto em Natal

As informações foram confirmadas pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social

Ricardo Araújo, Especial para o Estado

27 Dezembro 2017 | 12h14

NATAL - Uma policial militar de 44 anos levou um tiro de raspão na cabeça ao reagir a uma tentativa de assalto em Natal. Socorrida ao Pronto Socorro Clóvis Sarinho, na zona Leste da cidade, ela não corre risco de morte e o quadro de saúde é estável. As informações foram confirmadas pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

A  mulher atingida é cabo da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul. Ela integra o efetivo da Força Nacional que está em Natal para reforçar o policiamento ostensivo nas ruas desde que os policiais militares iniciaram uma paralisação nos serviços, na quarta-feira, 19. Além dela, outro agente da Força Nacional, oficialmente lotado na Paraíba, também foi vítima da tentativa de assalto, mas não foi atingido pelos tiros.

De acordo com a Sesed/RN, três criminosos armados cercaram o carro no qual os militares conversavam. O veículo estava estacionado quase ao lado da Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, no cruzamento das Avenidas Alexandrino de Alencar e Prudente de Morais, também na zona Leste. Ao anunciarem o assalto, os policiais reagiram e houve troca de tiros.

Pelo menos seis disparos atingiram o veículo. Um deles atingiu de raspão a cabeça da militar, que foi prontamente socorrida. Um dos bandidos foi atingido e acabou sendo preso em flagrante quando dava entrada no mesmo Pronto Socorro para o qual a policial foi levada. O homem, identificado como Guibson Alcântara da Costa Silva, de 22 anos, foi medicado e em seguida conduzido à Central de Flagrantes para lavratura de Boletim de Ocorrência.

 Paralisação. Há uma semana, policiais civis e militares, além de bombeiros, agentes, escrivães e delegados de Polícia Civil iniciaram um movimento intitulado "Segurança com Segurança". As Associações e Sindicatos que representam as categorias afirmam que não estão em greve, mas trabalhando de acordo com as condições oferecidas pelo Governo do Estado. Eles reclamam o pagamento de salários de novembro e dezembro, além do décimo terceiro.

No início desta semana, a desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Judite Nunes, determinou o retorno imediato dos agentes de segurança pública ao trabalho, sob pena de multa diária de até R$ 30 mil. Até esta quarta-feira, 27, os policiais não retomaram as atividades. Assembleias com os representantes sindicais ocorrerão ao longo da tarde desta quarta-feira para decidir o que será feito, diante da negativa do Estado no pagamento dos salários atrasados.

Desde a segunda-feira, 18, a Sesed registrou 381 ocorrências. O número de veículos roubados desde que o efetivo da Polícia Militar nas ruas foi reduzido a 20% chegou a 195 nesta quarta-feira. O roubos a estabelecimentos comerciais são 38; a agências bancárias são sete; roubo contra pessoas soma 114 ocorrências; contra residências são 25 e a postos de combustíveis, 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.