Agente e preso morrem em rebelião em Foz do Iguaçu

Um preso morreu no início da noite desta terça-feira em razão dos ferimentos recebidos durante a rebelião que começou por volta das 10h30 da manhã Cadeião de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Um agente penitenciário, que era mantido como refém e foi baleado por detentos, também morreu.De acordo com um atendente, o Instituto Médico Legal (IML) foi comunicado da morte do preso por volta das 19h30, mas o corpo ainda não tinha chegado até as 20h30 e não havia sido identificado. O agente morto foi identificado como Alcindo Jacinto Desidério.O juiz da Vara de Execuções Penais, que comanda as negociações com os detentos, conversou com os líderes da rebelião nesta tarde e ficou acertado que eles voltariam a conversar às 8h desta quarta-feira. O agente Reginaldo Barbosa continua como refém dos rebelados. MotimO motim teria começado após um carcereiro ser rendido pelos detentos. A polícia cercou o prédio preparando-se para uma invasão. No entanto, os presos trocaram de roupas com os reféns para evitar a ação. A cadeia tem capacidade para 350 presos e está com quase 800. Os presos estão batendo nas paredes para tentar arrebentá-las. Ainda não foram apresentadas as reivindicações.

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2006 | 21h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.