AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Agentes de presídios entram em greve dia 23

Os agentes penitenciários do Estado de São Paulo cruzarão os braços no próximo dia 23 para reivindicar mais segurança, melhores condições de trabalho e uma gratificação de R$ 580,00. Será uma greve de advertência, segundo Cícero Sarnei, presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindasp). Se as reivindicações não forem atendidas, a greve será retomada no dia 30, por tempo indeterminado. "Essa pauta já estava definida antes das rebeliões", disse.Segundo Sarnei, o sindicato está recomendando aos agentes que não entrem nos presídios afetados pelas últimas rebeliões, pois não há condições de segurança. Os funcionários devem permanecer do lado de fora das alas ocupadas pelos presos e só devem adentrar com apoio da Polícia Militar. "Os presídios estão destruídos e não há como garantir a integridade do pessoal."As penitenciárias de Irapuru, Presidente Prudente, Junqueirópolis, Pacaembu e Lucélia, foram as mais depredadas durante as rebeliões no oeste paulista, mas as unidades de Marabá Paulista, Assis, Flórida Paulista e Paraguaçu Paulista também sofreram grandes danos. Em Irapuru, Presidente Prudente e Pacaembu, não há condições de manter os presos nas celas, por causa da destruição.Assembléia aprova gratificação para policiaisA Assembléia Legislativa de São Paulo aprovou às pressas, nesta terça-feira, um projeto que cria Adicional Operacional de Localidade (AOL) para policiais civis e militares. Serão quatro faixas de gratificação para os policiais, de acordo com o número de habitantes da cidade onde trabalham. O projeto foi apresentado pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), oito dias antes de ele deixar o cargo para concorrer à Presidência. Para os policiais que têm base na capital, por exemplo, a gratificação será de R$ 580.Pela proposta de Alckmin, o benefício valeria apenas até o fim deste ano. A base governista tentou revogar o prazo limite, mas um erro no roteiro de votação tornou a gratificação permanente apenas para os policiais civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.