Agentes insistem em que Chang se machucou sozinho

Agentes penitenciários negaram hoje em depoimento ao juiz em exercício da 19ª Vara Criminal, Moacir Pessoa de Araújo, que tenham espancado ou torturado o chinês Chan Kim Chang no presídio Ary Franco. Eles sustentaram a versão de que Chang se machucou sozinho, durante um surto. O então diretor do presídio, major PM Luís Gustavo Matias da Silva, continua preso por ordem da Justiça Federal, que negou pedido de habeas corpus a seu favor.O juiz começou a ouvir hoje os doze acusados ? sete agentes, quatro presos e o ex-diretor. Até o fim da tarde, haviam sido ouvidos Everson Azevedo da Motta, Carlos Alberto de Souza Rodrigues, Raul Broglio Junior, Ricardo Wagner Sarmento Alves e Ricardo Duarte Pires Valério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.