Agentes penitenciários adiam greve

Os agentes penitenciários do Estado decidiram adiar para depois do dia 12 de março a greve declarada hoje pela manhã, durante assembléia da categoria em São Paulo. O adiamento foi decidido à tarde, depois de reunião de diretores de sindicato da categoria com o secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, e com o diretor da Coordenadoria dos Estabelecimentos Penitenciários do Estado de São Paulo (COESP), Sérgio Ricardo Salvador."O secretário foi receptivo às nossas propostas, comprometeu-se a encaminhá-las ao governo do Estado, e por isso nos manteremos em estado de greve, mas sem deflagrá-la até o dia 12, quando voltaremos a se reunir", anunciou o diretor do sindicato Gilberto Machado.Os agentes reivindicam reajuste salarial de cerca de 50%; redução da jornada de trabalho, com duas folgas semanais; aposentadoria especial; piso salarial para apoio; abertura imediata de CPI do sistema carcerário; reformulação do código penal; redução da população carcerária no complexo do Carandiru; contratação de 5 mil novos funcionários e aquisição de equipamentos de segurança como aparelhos de raio x e detectores de metal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.