Agentes penitenciários encerram paralisação em SP

Após três dias de paralisação, os agentes penitenciários da Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a Venceslau II, no interior de São Paulo, voltaram as atividades normais nesta terça-feira, 30. A Venceslau II e mais quatro unidades terminaram a paralisação organizada em protesto contra o assassinato do diretor-geral do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, no Grande ABC, Wellington Rodrigo Segura, de 31 anos, na última sexta-feira, 26. Além da Venceslau II, agentes da Presidente Venceslau I, da Penitenciária e do CDP de Ribeirão Preto, e do CDP de Mauá participaram dos protestos iniciados no sábado. Apesar do retorno às atividades normais da categoria, as visitas foram suspensas por 15 dias, contadas a partir do último sábado, no CDP de Mauá, conforme determinação da Secretaria de Administração Penitenciária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.