Agentes penitenciários não retomam greve em São Paulo

Apesar de ainda estar em meio às negociações e de haver focos de resistência, agentes penitenciários do Estado de São Paulo decidiram nesta quarta-feira que não vão retomar a paralisação, que desde o dia 15 reivindica mehores condições de trabalho. A greve havia sido suspensa temporariamente no início desta semana e havia um grande impasse para decidir se ela seria retomada. Novas assembléias regionais devem ocorrer na próxima sexta-feira. Na terça-feira, o governo prometeu que iria encaminhar o plano de carreira à Assembléia Legislativa. De acordo com informações do sindicato, na última greve, em 1991, o plano de carreira foi aprovado pelo governador logo após a categoria suspender a greve. Os agentes querem reajuste salarial de 40,8%, plano de carreira, creche ou auxílio creche e equiparação dos agentes de escolta e vigilância penitenciária com os agentes de segurança penitenciária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.