Agitação no centro começou já pela manhã da véspera

A agitação no centro por conta dos eventos em comemoração ao aniversário de São Paulo começou cedo ontem. Palco e sistemas de iluminação e som para o show de Caetano Veloso e convidados, às 23 horas, na esquina das Avenidas Ipiranga e São João ficaram prontos ao meio-dia. A movimentação de trabalhadores, turistas e curiosos foi intensa durante toda a manhã. O analista financeiro Célio Angeloni mora na São João e foi com o filho, Danilo, ver os preparativos para a festa e se certificar de que a cantora Rita Lee não se apresentaria. "Se não gostava muito dela, depois do que falou sobre São Paulo e os paulistanos, gosto menos ainda. Não devemos falar mal do lugar que nos oferece trabalho", disse Célio (veja entrevista da cantora na página seguinte). A festa tem um sentido especial para a família. Danilo faz 17 anos hoje. "Parece que essa festa também é para mim." Na cidade que tem braços abertos para todos, é fácil encontrar imigrantes apaixonados. A peruana Fabíola Febres, de 34 anos, há 5 na capital, observava a montagem do palco com os dois filhos e um casal de amigos. Ao falar da cidade que a acolheu, ficou emocionada. "Saí do meu país à procura de um trabalho e de uma vida financeira melhor. Aqui achei tudo isso, fiz muitos amigos." HotelPaulistana, a especialista em museologia Dalva Soares Bolognini, de 65 anos, decidiu ficar bem perto das festas dos 450 anos. Mesmo morando na capital, na Aclimação, ela e duas amigas se hospedariam ontem à tarde no Hotel Bourbon, na Rua Vieira de Carvalho, entre a Praça da República e o Largo do Arouche. "Assim temos acesso fácil ao metrô, que nos possibilita estar em todos os pontos onde haverá algum evento", justificou. Para ela, também seria uma questão de conforto, segurança e economia. As amigas pagarão uma diária, em apartamento triplo, de R$ 138,00. No fim das contas, cada uma vai gastar R$ 46,00 com hospedagem. Dalva garante que compensa. "Não precisamos nos preocupar em voltar para casa de madrugada nem com estacionar o carro." Ela ainda se lembra da comemoração do 4.º Centenário de São Paulo. Na época com 15 anos, Dalva disse que o maior evento da festa foi a inauguração do Parque do Ibirapuera, que não pôde ver. "Antes era tudo mais difícil." Mas a maior diferença é o clima. "Não havia essa comoção, esse espírito coletivo que vemos hoje, na comemoração dos 450 anos." Para ontem, as amigas programaram um passeio pelo centro, jantar no Bar Brahma e assistir ao show de Caetano Veloso. Hoje, o dia deve começar cedo, com a missa na Catedral da Sé e depois uma passadinha pelo Vale do Anhangabaú. "O resto a gente vai decidir na hora. É muita coisa acontecendo. Mas São Paulo merece, e nós também." A concentração de outros dos eventos do aniversário da cidade, a Corrida Maluca, ontem de manhã, mostrou que qualquer um pode parecer Elvis Presley, Chacrinha ou Penélope Charmosa. Em sua quinta edição, o desfile de carros antigos reúne pessoas ligadas à Escuderia Auto Billy e covers de todo o Brasil. Muitos deles, que ganham a vida fazendo shows, aproveitam o dia de folga todos os anos para dar um presente para São Paulo. "É uma forma de reviver aquilo que foi perdido no tempo, para fazer adulto sonhar e criança se divertir", disse o ex-vendedor João Carlos Gonçalves, de 46 anos, cover do personagem Tio Chico, da Família Adams. Hélio Vernier, de 69 anos, é tão parecido com Chacrinha que recebeu uma homenagem da família do apresentador no ano passado. Ex-motorista de ambulância, há dez anos ele ganha a vida imitando o "Velho Guerreiro". "Esta corrida traz as pessoas para a rua para homenagear a cidade." Os participantes da corrida sairia da Mooca às 13 horas e iriam até o centro, passando por 14 ruas e avenidas, entre elas Ipiranga, Consolação e Paulista. Além das fantasias, os carros antigos são atração do desfile. Na concentração, a Rua Visconde de Parnaíba, onde fica o Memorial do Imigrante, foi tomada por relíquias como um Impala 61, um furgão GMC 49 e um Landau 81. Segundo os organizadores, 150 pessoas participariam da corrida.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2004 | 06h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.