Agnelo abre 13 pontos sobre Roriz no DF

Ibope dá ao petista 43% das intenções de voto contra 30% do rival, o que lhe permite vencer no primeiro turno

, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2010 | 00h00

O petista Agnelo Queiroz ampliou de 9 para 13 pontos porcentuais sua vantagem em relação a Joaquim Roriz (PSC) na disputa pelo governo do Distrito Federal, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo.

Em dez dias, Agnelo subiu de 40% para 43%, enquanto seu principal adversário oscilou de 32% para 30%. Com esse resultado, o petista venceria no primeiro turno se a eleição fosse realizada hoje.

Descontados os eleitores indecisos e os votos brancos e nulos, Agnello teria atualmente 55% dos votos válidos. Para vencer no primeiro turno no dia 3 de outubro, ele precisará conquistar pelo menos 50% mais um.

Roriz, cuja candidatura pode ser derrubada pela Lei da Ficha Limpa, tem o maior índice de rejeição - 42% dos eleitores afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. Apenas 19% dizem o mesmo em relação ao candidato do PT.

Virada. Ex-governador do Distrito Federal, Roriz começou a campanha na frente - vencia por 38% a 27% em julho. Ele começou a cair depois do início do propaganda eleitoral - tendência que se acelerou com a impugnação de sua candidatura. O Tribunal Superior Eleitoral dará a palavra final sobre a possibilidade de ele concorrer ou não.

Agnelo, um novato no PT, tem destacado em sua campanha a proximidade com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a candidata a presidente Dilma Rousseff (PT). Ele foi ministro dos Esportes quando ainda integrava o PC do B.

Roriz é o líder disparado no eleitorado mais pobre. No segmento com renda mensal de até um salário mínimo, ele vence Agnello por 56% a 19%. Na faixa de renda mais alta, acima de cinco salários mínimos, ocorre o inverso: o petista lidera por 56% a 18%.

Também há diferenças de tendência quando se divide o eleitorado com base na escolaridade. Os que estudaram até a quarta série preferem Roriz (47% a 27%). Os que têm grau superior estão com o candidato do PT (61% a 14%).

O petista tem 12 pontos porcentuais de vantagem (37% a 25%) na pesquisa espontânea - aquela em que os eleitores manifestam sua intenção de voto antes de ler a lista de candidatos.

Senado e Presidência. Na disputa pelo Senado, o pedetista Cristovam Buarque, que também já governou o Distrito Federal, subiu de 47% para 50% nos últimos dez dias, segundo o Ibope. Em segundo lugar, também com tendência de alta, está Rodrigo Rollemberg (PSB), que passou de 33% para 39%. A tucana Maria Abadia, terceira colocada, oscilou negativamente de 24% para 22%.

A corrida presidencial no Distrito Federal ficou praticamente inalterada. Dilma Rousseff, primeira colocada, oscilou de 44% para 45%. Já o tucano José Serra passou de 22% para 20%. / D.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.