Agora, foco é no ''bilhete único'' da Grande SP

Governo quer acelerar Metropass, projeto de integração intermunicipal

Eduardo Reina e Bruno Tavares, O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2008 | 00h00

Passado o período eleitoral municipal, o governo de São Paulo pretende acelerar o andamento de projeto para instalação do sistema Metropass, um bilhete que deve integrar os sistema de metrô, trem e ônibus intermunicipais com a capital. Atualmente, a Prefeitura de São Paulo administra o chamado bilhete único, que só pode ser utilizado em viagens dentro da cidade, com integração com Metrô, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). O início de operação do Metropass na Grande São Paulo está previsto para 2010, quando deverão estar em funcionamento novas linhas de metrô e serão modernizados os ramais da CPTM. O administrador desse novo sistema foi criado no ano passado pela Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos. Trata-se de uma empresa metropolitana com a função de gerir todo o transporte na Grande São Paulo, em esquema similar ao existente em cidades como Madri, Londres e Paris. A implementação e a manutenção do novo cartão magnético ficará a cargo da empresa vencedora da licitação, que receberá remuneração sobre a receita tarifária. A concessão dos serviços poderá estender-se por 20 anos. Uma instituição bancária, denominada banco "ruste", fará a centralização das receitas. Hoje, a administração municipal gere o sistema e as receitas passam por uma conta corrente na Caixa Econômica Federal. SMART CARD O novo bilhete será um smart card, que além de servir como bilhete de transporte poderá ser utilizado como um cartão de débito. Estuda-se ainda a colocação de publicidade nos cartões, com receitas que poderão ser repartidas entre os participantes do sistema Metropass, conforme já estava previsto numa resolução editada em 2004 pela Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos. O sistema também deverá abrir caminho para novos modelos tarifários, a exemplo do que já acontece nas capitais européias, com descontos em alguns períodos do dia e até promoções. O principal obstáculo a ser superado é convencer os municípios da Região Metropolitana de São Paulo a aderirem ao smart card. O Metrô já tem o apoio da Prefeitura. "Se São Paulo entrar, é quase impossível que as cidades vizinhas resistam ao novo sistema", avalia um técnico envolvido no estudo. O projeto do Metropass é previsto pelo Estado desde 1998, mas nunca saiu do papel. Procurada ontem, a Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos confirmou que, por determinação do governador José Serra, está estudando com a Prefeitura a ampliação do bilhete único para os ônibus da região metropolitana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.