Agora, ''''vampiro'''' é suspeito de ordenar morte de grávida

Ajudante-geral afiou caninos para morder pescoço das vítimas

Sandro Villar, PRESIDENTE PRUDENTE, O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

A situação do ajudante-geral Vandeir Máximo da Silva, conhecido como o "Vampiro de Presidente Prudente", complicou-se ontem. A polícia suspeita que Vlad, como ele é chamado, ordenou a uma "seguidora" da seita que criou , a Anjos Rebeldes, que matasse uma gestante, dizendo que o bebê era o "Anticristo". O delegado Dirceu Gravina não acreditou na história do Anticristo e disse que Vlad queria se ver livre da gravidez indesejada de uma namorada. "Ele não quer ter o filho e, por isso, tentou persuadir a menina a matar a moça.""Isso é mentira, por problemas de família estou proibido de dar entrevistas", disse Silva à reportagem do Estado.Vlad também afiou e lixou os caninos, deixando-os pontiagudos para facilitar a perfuração do pescoço dos "seguidores". Isso foi atestado por um dentista do Instituto Médico-Legal (IML) num exame da arcada de Vlad, que ontem voltou ao 4º Distrito. "Vamos confrontar a arcada com as marcas dos dentes encontradas nos adolescentes", disse o delegado.Pais de cinco adolescentes já deram queixa à polícia. A denúncia é de que Vlad enganava os jovens, prometendo a imortalidade a quem o deixasse morder o pescoço e chupar o sangue. Ele nega e diz que só criou um personagem para jogos de RPG .A polícia apreendeu livros e DVDs de vampirismo na casa do ajudante, que no Orkut se apresenta com o nome de Hansho Hakhamyah. "Ainda não é possível pedir a prisão preventiva. Vlad deveria ser internado num hospital psiquiátrico", concluiu o policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.