Agricultoras invadem McDonald´s em Porto Alegre

Cerca de 200 agricultoras, segundo avaliação das manifestantes, ou 40, na contagem da Brigada Militar gaúcha, invadiram hoje, por volta das 11h30, uma loja da rede McDonald´s no centro de Porto Alegre (RS). Elas realizaram um protesto no interior da lanchonete, onde permaneceram por cerca de uma hora. Conforme a coordenadora do Movimento das Mulheres Trabalhadoras Rurais (MMTR), Loiva Rubenich, o local foi escolhido por simbolizar um modelo oposto ao defendido pelas mulheres do campo, quequerem a valorização da agricultura nacional. Além disso, a ação pretendia criticar os alimentos transgênicos. Loiva disse que estavam previstas ações hoje em 24 capitais brasileiras para marcar o dia de luta das mulheres pela manutenção da previdência pública, reforma agrária e sistema de saúde com ações dirigidas para as trabalhadoras. A Brigada Militar relatou que não houve feridos durante o protesto. O McDonald´s informou, por intermédio de sua assessoria, que não houve danos materiais à loja invadida. A cadeia de lanchonetes irá divulgar hoje uma nota à imprensa com sua posição sobre o episódio. Durante o protesto, as agricultoras cantaram hinos e fizeram pichações com spray nas janelas da loja. As pichações foram removidas logo após a ação e a loja voltou a funcionar normalmente quando as agricultoras deixaram o local. Enquanto durou o protesto, a venda de lanches foi suspensa, segundo asmanifestantes. O ato foi promovido por mulheres de cinco organizações, que encerram hoje um acampamento na capital gaúcha: o MMTR, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e Pastoral da Juventude Rural. Cerca de 1.500 mulheres participam doacampamento, que foi formado na terça-feira no ginásio Tesourinha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.