Águia de Ouro aposta nas sensações trazidas pelo sorvete

Explorando os cinco sentidos aguçados pela delícia gelada, escola de samba garante inovações

Jones Rossi, do Jornal da Tarde,

21 de janeiro de 2008 | 11h08

No calor do carnaval, duas escolas apostaram no sorvete como enredo. Mas, diferentemente da Acadêmicos da Tucuruvi, que vai contar a história do gelado, a Águia de Ouro resolveu apostar nos sentidos que o sorvete desperta. A idéia é 'fundir dois enredos (sorvetes e sentidos) em um só', afirma o presidente da escola, Sidnei Carriuolo. Segundo o carnavalesco carioca Victor Santos, de 38 anos, que já trabalhou com Joãozinho Trinta na Beija-Flor, cada carro trabalhará um sentido humano. O primeiro, no qual o gelo será o elemento principal, vai falar do tato. Todo em prata e branco, vai abrir caminho para o carro da visão, o qual fará o desfile da Águia ganhar cor. 'As alas começam a ficar mais coloridas', diz. O terceiro carro será o do olfato, que vai lançar aromas para o público. Embora não estejam confirmados, os aromas deverão ser de baunilha e chocolate, para combinar com o enredo. A decoração do carro terá vários elementos baseados na magia. 'É uma linguagem mágica, das fadas elementais do ar, que pode modificar o seu espírito. É a representação de como o sorvete conduz a um estado de felicidade', teoriza Santos.O carnavalesco promete uma surpresa para o quarto carro, que tratará do paladar. 'Será romântico, com uma escultura de um homem e uma mulher se beijando. Inspirado em Don Juan, representará o beijo doce, que seduz as mulheres.'  Já o quinto carro alegórico, sobre a audição, foi o mais difícil de relacionar com o sorvete. Por isso, a escola resolveu usar o samba sobre o sorvete como referência. 'Mostrará como o sorvete virou samba.' Como em 2007, a escola ficou em 4º lugar apostando em inovações, este ano algumas delas deverão ser novamente testadas. 'A bateria, em vez de vir no meio, veio na frente, após a comissão de frente. O povo ficou enlouquecido. Nem no Rio isso foi feito. Então este ano teremos que ter mais inovação para cumprir a expectativa', garante Santos, que está há cinco anos na Águia de Ouro, período em que a escola se consolidou entre as maiores do grupo especial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.