Ainda desaparecidas 3 vítimas de naufrágio no Rio

As buscas pelos turistas desaparecidos no naufrágio da escuna Tona Galea, neste sábado de manhã em Cabo Frio, na Região dos Lagos, no Estado do Rio, foram reiniciadas às 6 horas deste domingo, mas ninguém foi encontrado até o final do dia.Trinta e dois homens procuravam, no litoral de Cabo Frio e Arraial do Cabo, três pessoas: Oswaldo Meneguetti, Alexandre Boueres, ambos de São Paulo, e Edson Celestino Silva, de Belo Horizonte, os únicos ainda não localizados.O delegado titular da 126ª Delegacia Policial (Cabo Frio), José Mário Salomão de Omena, que investiga o naufrágio da Tona Galea, disse que pedirá a prisão temporária do mestre-arrais (comandante do barco) Norberto Guimarães Silveira, caso ele não compareça espontaneamente até o vigésimo dia do inquérito, iniciado neste sábado.O marinheiro Angelo Márcio Pinto Tavares, auxiliar do mestre-arrais, também foi intimado, mas ainda não se apresentou à polícia. Até este domingo, 20 sobreviventes tinham sido ouvidos pelo delegado. Omena também deve convocar como testemunha o presidente da Cooperativa Coopnav, que administra os passeios de escuna em Cabo Frio, José Henrique de Azevedo Filho, e pelo menos outras 29 pessoas que estavam na embarcação.A peça mais importante para o inquérito, segundo o delegado, será o laudo da perícia feita pela Marinha. Neste domingo, bombeiros e militares da Capitania dos Portos de Cabo Frio trabalharam para retirar a água acumulada no interior da Tona Galea, reformada recentemente e adaptada para navegar em mar aberto. Segundo ele, a partir desse laudo, que deve estar concluído em 30 dias, é que poderão ser determinados os responsáveis pelo acidente. Ele disse ter sido informado pela Capitania dos Portos de que o uso dos coletes não é obrigatório e mandou fotografar a embarcação para certificar-se de que estavam em local acessível e visível para os passageiros. Omena afirmou ainda que a embarcação transportava menos pessoas do que sua capacidade permite e, portanto, haveria coletes para todos.Os 12 corpos encontrados já foram liberados pelo Instituto Médico-Legal de Cabo Frio. O comandante de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, tenente-coronel Vinícius Myssen, disse que, se houver corpos no mar, eles devem ?vir à superfície? no prazo de um a dois dias.Dois passageiros da escuna que adernou estão internados em estado grave por causa do acidente. Sílvia Guerrato, de 42 anos, foi levada de helicóptero para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, na zona sul do Rio. Os médico informaram que Sílvia, proveniente de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, se afogou e sofreu edema pulmonar.Ela respira com a ajuda de aparelhos e não há previsão de alta. Já o menino Henrique Trindade Dutra, de três anos, hospitalizado na Clínica Clitel, em Cabo Frio, deve permanecer no CTI até esta segunda-feira, conforme informou sua mãe, Sílvia Dutra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.