Ainda é grave estado de saúde de japonesa esfaqueada no Rio

O estado de saúde da cientista japonesa,Yoshyko Magoshi, de 61 anos, esfaqueada e atropelada na noite de sexta-feira em Copacabana, piorou neste domingo. De acordo com a assessoria do Hospital Copa D´Or, para onde ela foi transferida, a paciente inquietou-se bastante durante a madrugada e teve que ser sedada e colocada num respirador artificial. O estado de saúde da cientista, que chegou ao Rio no dia do assalto, é considerado grave e ela permanece internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do hospital. O marido da japonesa, Jun Magochi reconheceu Maurício dos Santos Mota, de 21 anos, como um dos que participaram da ação. Mota, na companhia de outros três homens, foi detido e levado para a Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat).Mais assaltosA violência contra a turista japonesa não foi o único caso do tipo no fim de semana. Segundo informações da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), oito ocorrências contra turistas foram registradas somente neste Domingo. Em um dos casos, nem o patrulhamento ostensivo da polícia na orla da Praia de Ipanema evitou a ação dos ladrões. Um turista colombiano, na altura do posto oito, teve uma calça, com documentos e dinheiro, furtada por um ambulante, que carregava um isopor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.