Airbus nega indícios de problemas mecânicos no vôo 3054--JN

Um documento da Airbus, sobre oacidente com o vôo 3054 da TAM no dia 17 de julho, que deixou199 mortos, afirma que não há indícios de que o maufuncionamento da aeronave, de fabricação da empresa, tenhacontribuído para o pior desastre aéreo da história do Brasil. Segundo o Jornal Nacional da Rede Globo, que afirmou terobtido o documento com exclusividade, o comunicado enviado pelaAirbus a todos seus operadores cruzou as informações das duascaixas-pretas do avião, que se chocou contra prédios numaavenida em frente ao Aeroporto de Congonhas. O documento, assinado pelo vice-presidente de segurança devôo da Airbus, Yannick Malinge, segundo o JN, dá detalhes datentativa de pouso da aeronave, que tinha o reverso da turbinadireita travado."As caixas-pretas de dados e de voz não mostram evidências demau funcionamento da aeronave", conclui o documento da Airbus,segundo o telejornal, que acrescentou que a empresa garantiuque o avião poderia voar com o reverso travado. Ainda segundo o Jornal Nacional, no momento do pouso, omanete que controla a potência do motor esquerdo estava naposição de marcha-lenta, enquanto o que controla o motordireito, que tinha o reverso travado, estava na posição deaceleração e permaneceu assim até o fim da gravação dascaixas-pretas. Com o manete direito em posição de aceleração, segundo odocumento obtido pelo JN, os spoilers, que são freiosaerodinâmicos localizados sobre as asas, não abriram e o pedalde freio só foi acionado 11 segundo após o toque do avião nosolo. O documento, ainda de acordo com o telejornal, mostrariaainda que a força sobre o pedal de freio foi oscilante, quehouve pressão sobre o leme da aeronave e que o avião percorreua pista a uma velocidade de 180 quilômetros por hora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.