Ajuda começa a chegar a Alagoas

Avião da FAB trouxe do Rio alimentos, remédios e colchões; cidades em calamidade têm prioridade

Solange Spigliatti, da Central de Notícias

22 de junho de 2010 | 14h30

União dos Palmares, uma das cidades mais atingidas em AL. Foto: Thiago Sampaio/Ag. Alagoas

 

SÃO PAULO - A aeronave da Aeronáutica, que saiu do Rio levando donativos, como alimentos, remédios e colchões, para as vítimas das enchentes em Alagoas, chegou na manhã desta terça-feira, 22, ao Estado. As famílias desabrigadas e desalojadas dos 15 municípios alagoanos que estão em estado de calamidade pública já começaram a receber os gêneros alimentícios, segundo a Agência Alagoas.

 

Veja também:

linkNordeste contabiliza 41 mortos pelas chuvas

linkUnião decide liberar R$ 300 mi para PE e AL

linkRegião terá mais um dia de chuva nesta terça

linkLula anuncia liberação de FGTS para vítimas

 

Entre as doações de São Paulo e Rio Grande do Sul, a aeronave Boeing 707 da Força Aérea Brasileira (FAB), o KC 707, transportou 100 colchões, 100 unidades de cloreto de sódio 20%, 600 máscaras descartáveis e uma quantidade menor de luvas cirúrgicas, algodão, glicose, paracetamol, dipirona e outros remédios.

 

O Boeing trouxe ainda para as vítimas 12 sacas de feijão (cada uma com 50 quilos); 125 sacas de arroz (cada uma com 30 quilos); 25 caixas de óleo de soja (cada uma com 20 unidades); 40 sacos grandes de leite em pó (cada um com 14 sacos pequenos), 317 cestas básicas e 16 fardos de açúcar (cada um com 30 sacos).

 

Dois helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) e um da Marinha estão levando as doações para os municípios. Segundo a Agência, Santana do Mundaú e São José da Laje foram um dos primeiros a serem beneficiados com a entrega dos produtos.

 

Os helicópteros que também são usados para a ajuda das vítimas já transportaram, nestes três últimos dias, em média 3,5 toneladas de mantimentos, entre água e medicamentos. As aeronaves da FAB também efetuaram o traslado de 23 médicos e enfermeiros.

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, cancelaram suas agendas e vão sobrevoar Alagoas e Pernambuco. Jobim deverá acompanhar as medidas emergenciais tomadas pelo governo federal e fazer um levantamento da logística de ajuda às famílias atingidas.

 

O ministro informou que a ajuda aos desabrigados será feita em duas frentes. A primeira, voltada à habitação, com barracas, comida, água potável e energia. A segunda, na área de saúde, com o envio de medicamentos e hospitais.

 

O Gabinete de Segurança Institucional continua reunido com a ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, para decidir a melhor forma de contornar a situação no Nordeste. O presidente Lula anunciou a liberação imediata de R$ 300 milhões para os dois Estados para o início das obras de reconstrução dos municípios atingidos. Ao menos R$ 100 milhões devem ser liberados imediatamente.

 

Para ajudar

 

Para as pessoas que desejarem contribuir em dinheiro, estão disponíveis duas contas: Banco do Brasil - Agência 3557-2 - Conta Corrente 5241-8 e Caixa Econômica Federal - Agência 2735 - Conta Corrente 955-6 - Operação 006.

 

Por meio da assessoria do Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil solicita que as doações devem ser focados em alimentos de pronto consumo (enlatados e embutidos) e água potável, assim como cobertores, roupas, e medicamentos (anti-inflamatório, antibiótico, antitérmico e analgésicos). Os postos de arrecadação de donativos são todos os grupamentos do Corpo de Bombeiros da capital e interior de Alagoas.

Tudo o que sabemos sobre:
AlagoasPernambucochuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.