AL é região que menos investe em aeroportos no mundo

Constatação faz parte de estudo do Conselho Internacional de Aeroportos, com sede em Genebra, e que reúne 95% dos aeroportos mundiais

Jamil Chade,

20 Julho 2007 | 15h29

A América Latina é a região que menos investe em aeroportos no mundo e consegue destinar menos recursos ao setor aéreo que a África. A constatação faz parte de um estudo do Conselho Internacional de Aeroportos, com sede em Genebra, e que reúne 95% dos aeroportos mundiais.   Veja também:  Após comemoração, PSDB pede demissão de Marco Aurélio Garcia O que você acha da atitude de assessores de Lula? Lista de vítimas do acidente do vôo 3054  O local do acidente  Quem são as vítimas do vôo 3054  Histórias das vítimas do acidente da TAM  Galeria de fotos  Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Cronologia da crise aérea  Acidentes em Congonhas  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054      Segundo o levantamento obtido pelo Estado, os países latino-americanos investiram US$ 1,2 bilhão em 2006 em aeroportos, contra mais de US$ 3,6 bilhões na África e quase US$ 17 bilhões no Canadá e Estados Unidos. Na Europa, os investimentos chegaram a US$ 13 bilhões no ano passado. No total, US$ 38 bilhões foram destinados em todo o mundo a melhorias em infra-estrutura em aeroportos.   Em 2005, o dinheiro destinado à infra-estrutura aeroportuária na América Latina também foi a mais baixa do mundo, com apenas US$ 900 milhões, contra US$ 3,5 bilhões na África.   Segundo o levantamento, países como China, Índia e África do Sul estão destinando importantes recursos ao setor. Com o crescimento econômico que essas economias vem sofrendo, os governos tem investido valores significativos para a melhoria do setor aéreo.   Na China, um dos motivos é a previsão de turistas viajando em 2008 para acompanhar os Jogos Olímpicos de Pequim. Na África do Sul, a Copa do Mundo de 2010 também deu impulso a investimentos nos aeroportos.   De acordo com o levantamento, os países emergentes devem experimentar um aumento de 100% no fluxo de passageiros nos próximos 15 e, portanto, precisam se preparar já para evitar problemas no futuro próximo.   O estudo ainda mostra que investir em aeroportos traz um retorno importante e que os gastos podem ser rapidamente recuperados. No total, os cem maiores aeroportos do mundo registraram uma alta de seus lucros em 2006 de 10,3%.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.