Alagamento faz helicóptero resgatar bebê

Um "pantanal" foi a visão que o servente Davi Inácio, de 27 anos, teve ao chegar a São Paulo, no início da noite de ontem. Ao lado da irmã, Odéia, e da sobrinha, Jéssica, de 8 meses, ele era transportado por uma ambulância que vinha de Piedade de Caratinga (a 300 km de Belo Horizonte) para uma consulta médica da criança no Hospital do Câncer AC Camargo, na zona sul da capital paulista. "A gente estava passando e era um pantanal, aí o carro parou. Pensamos que iríamos ficar perdidos", conta Inácio com forte sotaque mineiro. A família esperava havia cinco meses para trazer a menina para a avaliação na capital paulista, depois que ela apresentou problemas no fígado. Por volta das 19h, a Polícia Militar foi obrigada a parar o trânsito da Rodovia Fernão Dias, na altura da Ponte Aricanduva, para resgatar o bebê no helicóptero Águia, que teve o voo acompanhado pelas aeronaves de emissoras de TV.Segundo o Hospital do Câncer, o bebê ainda não teve o diagnóstico fechado, não se sabe se Jéssica é portadora de câncer ou de uma obstrução de vias biliares. Há a possibilidade de a criança realizar um transplante de fígado, procedimento que não é feito em crianças em Minas Gerais, onde não há equipes preparadas. De acordo com o governo de Minas, no entanto, Jéssica não precisaria ter passado por nenhum apuro, pois há um avião disponível para esse tipo de paciente. Já o prefeito de Piedade de Caratinga, Adolfo Bento (DEM), diz que nunca ouviu falar do benefício. Apesar da confusão, Inácio disse estar calmo e afirmou que não ficou com má impressão da cidade "Eu gosto muito de São Paulo, aqui tudo é bom."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.