Alagamentos ainda complicam o trânsito em São Paulo

A chuva forte que caiu sobre São Paulo desde a madrugada desta segunda-feira, 10, começa a diminuir. Por volta das 11h35, a chuva já era leve e caía apenas em alguns pontos da cidade. O estado de atenção decretado às 6h53 pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) terminou às 11h05, mas os pontos de alagamento aumentaram de 8 para 13, a maioria na zona oeste e central da cidade.Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a cidade registrava, às 11 horas, 44 quilômetros de lentidão nas principais vias monitoradas pela empresa, bem acima da média para o horário, que é apenas 15 km. O pico do congestionamento foi registrado às 9 horas, com 81 quilômetros de vias congestionadas, quase o dobro da média, que é de 46 km. Entre os treze pontos de alagamentos, todos transitáveis, três estão na Marginal do Pinheiros. Um sob a Ponte do Socorro, outro sob a Ponte João Dias e o terceiro na altura do número 20.983.Na Avenida Interlagos, sentido bairro, a esquina com a Rua Engenheiro Dagoberto Salles está alagada. Outro ponto que atrapalha os motoristas está na Avenida Francisco Morato, na altura da Praça Jorge de Lima. Na Radial Leste, o acesso ao Viaduto Alberto Badra também alagou. Outros pontos alagados estão na rua João Alfredo, próximo à praça D. Francisco de Souza e na rua Cel. Marques Ribeiro, próximo ao Center Norte, na Rua da Cantareira, no centro, e na Alameda Lorena, próximo à Avenida Nove de Julho.Árvore e desabamentosDe acordo com informações do CGE, uma casa desabou parcialmente por volta das 7h40, na Vila Dom José, e o teto de um apartamento também caiu por volta das 11h10 desta segunda, no Jardim São Paulo, devido a chuva forte. Em ambos os incidentes, porém, não houve vítimas. Outro incidente envolveu a queda de uma árvore, na Vila Mazzei, por volta das 8h30, também sem vítimas. Matéria alterada às 12h30 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.