Alagoas decreta estado de emergência de saúde pública

1º boletim epidemiológico de áreas alagadas foi divulgado; entre doenças, seis casos de leptospirose

Julia Baptista, da Central de Notícias

29 de junho de 2010 | 20h53

SÃO PAULO - Alagoas decretou estado de emergência de saúde pública por causa da situação de risco para ocorrência de casos de doenças transmissíveis ou não. A informação foi anunciada nesta terça-feira, 29, pela Secretaria de Estado da Saúde, no primeiro boletim epidemiológico das áreas atingidas pelas enchentes que castigaram o Estado nas últimas semanas. Seis casos de leptospirose já foram registrados.

 

Veja também:

linkMortos no Nordeste chegam a 57

linkAL cria comissão para reconstruir cidades

linkSaiba onde fazer doações para as vítimas

 

De acordo com os dados da Defesa Civil, 28 municípios foram afetados, o que corresponde a 27,4% do total do Estado. Destes, 4 decretaram estado de emergência e 15 anunciaram calamidade pública. O número de pessoas afetadas foram 181.020 pessoas, segundo a Notificação Preliminar de Desastre.

 

O município com maior porcentual de pessoas afetadas foi Santana do Mundaú (99,7%), seguido de União dos Palmares (87,7%). Ocorreram 37 óbitos em 7 dos municípios afetados: Santana do Mundaú, Joaquim Gomes,União dos Palmares, Branquinha, Paulo Jacinto, Murici e Rio Largo.

Tudo o que sabemos sobre:
AlagoasPernambucoNordestechuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.