Alagoas interrompe obras para agilizar limpeza de áreas afetadas pelas chuvas

Pelo menos 65 equipamentos serão usados para serviços; no Estado, 29 pessoas morreram e outras 600 ainda estão desaparecidas

Priscila Trindade, do estadão.com.br

23 de junho de 2010 | 18h03

SÃO PAULO - O governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, determinou a paralisação das obras em execução no Estado e liberou o uso das máquinas para a limpeza das cidades afetadas pelas enchentes. Segundo o secretário de Infraestrutura, Marco Fireman, 65 equipamentos serão utilizados para os serviço.

 

Veja também:

linkNúmero de mortos pelas chuvas no Nordeste sobe para 44

linkBanco abre contas para doações às vítimas das chuvas no Nordeste

linkPara Jobim, situação é comparável à do Haiti

linkGoverno libera R$ 72 milhões para obras

linkChuva deve continuar em Pernambuco e Alagoas

linkProdutos doados em AL têm isenção de ICMS

mais imagens A tragédia do Nordeste, em imagens

 

Desde a semana passada, os temporais provocaram 29 mortes em Alagoas e obrigaram 64.515 pessoas deixassem suas casas. Desse total, 26.618 estão desabrigadas e 47.897 desalojadas.

 

O governo estima que 600 pessoas estejam desaparecidas em todo o Estado. Segundo a defesa Civil, 15 municípios decretaram estado de calamidade pública. São eles: Quebrangulo, Santana do Mundaú, Joaquim Gomes, São José da Laje, União dos Palmares, Branquinha, Paulo Jacinto, Murici, Rio Largo, Viçosa, Atalaia, Cajueiro, Capela, Jacuípe e Satuba.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.