Alckmin cita propostas populares e alfineta Lula

Um resumo das propostas mais populares. Esse foi o roteiro do programa eleitoral gratuito do candidato à Presidência do PSDB, Geraldo Alckmin, transmitido em cadeia de rádio na hora do almoço. O programa começou com críticas rápidas ao candidato oponente, que "dá emprego para companheiros ao invés de melhorar a situação do aposentado, que gasta com avião ao invés de investir em hospitais".O programa relacionou também as despesas do Palácio do Planalto e a falta de moradias populares. "Quero ser presidente para construir o Brasil do futuro. O Brasil do passado é o do mensalão, do escândalo de ministro envolvidos em crimes e corrupção".Na lista de projetos populares, o programa disse que o candidato pretende tornar o Bolsa-Família mais forte, aumentar o emprego para jovens, investir em casas populares, água, esgoto e escola, em restaurantes populares, na distribuição de remédios gratuitos.O plano de governo será centrado em quatro grandes áreas: Ampliação e construção de estradas e ferrovias; saneamento, principalmente no Nordeste; casas populares; urbanização de favelas em grandes centros. "Tudo isso vai gerar milhares de empregos."O programa do candidato também voltou a citar que o ensino básico de qualidade será instalado em todo o País, com "toda a criança de seis anos permanecendo cinco horas na escola; capacitação de professores e ampliação de cursos técnicos e profissionalizantes.Alckmin também prometeu reduzir impostos e fez propaganda do Banco do Povo, que financia até R$ 5 mil com custo de 1% ao mês. "A menor taxa em todo o mercado financeiro", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.